Empresários debatem novas ideias para alavancar sector do turismo

44
visualizações

A Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal vai receber um evento promovido pelo IPS onde profissionais do sector do sector do turismo podem trocar experiências e ficar a conhecer novos apoios ao empreendedorismo

 

- Pub -

 

Para “Inspirar a inovação no turismo” várias entidades e projectos empresariais da região com intervenção neste sector económico vão partilhar ideias e experiências de sucesso no IN2SET – Interface Colaborativo para o Desenvolvimento Sustentável e Inovação da Península de Setúbal.

Promovido pelo Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), a terceira edição do workshop Get Together vai decorrer no próximo dia 29 na Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal, com início às 9h15.

A sessão de abertura estará a cargo do presidente do IPS, Pedro Dominguinhos, e da directora da Escola de Hotelaria, Maria João Carmo, seguindo-se a intervenção de António Daniel Santos, do Turismo de Portugal que irá referir os apoios ao empreendedorismo inscritos no Programa Turismo 4.0, focado na inovação e desenvolvimento digital do sector turístico.

Para as 10h00 está marcada da reunião do primeiro painel temático que irá debruçar-se sobre quatro projectos inovadores – Argonavis – Rotas com História, os restaurantes Mundet Factory e Lisboa à Vista, no Seixal, e Rota das Vinhas do Pó, em Palmela – que se propõem a demonstrar “Como é construído o sucesso: trajectórias de negócio”.

O 3.º Get Together encerra com o painel “Financiar o crescimento com fundos externos”, às 11h30, com testemunhos dos responsáveis da unidade turística de luxo Herdade do Moinho Novo, no Montijo, e do restaurante e hostel De Pedra e Sal, no centro histórico de Setúbal, sob moderação de Natália Henriques, da Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal.

Constituído em Janeiro de 2015, o interface colaborativo IN2SET é concebido e gerido pelo IPS. Integra uma rede de parceiros regionais do sector económico, social e ambiental, entre empresas, entidades municipais, associações e outras instituições e individualidades da sociedade civil.

Segundo nota de imprensa do IPS esta plataforma pretende “actuar como um facilitador da interacção entre os respectivos membros, no sentido de um conhecimento aprofundado e sistematizado da região, fundamental para o apoio a decisões estratégicas, com consequentes mais-valias para os vários sectores de actividade”.

Comentários

- Pub -