Tondela põe ponto final no sonho vitoriano da Taça da Liga

29
visualizações

Afinal há duas sem três! A contar para a segunda jornada do grupo B da Taça da Liga, o Vitória FC perdeu, no Estádio do Bonfim, com o Tondela, por 1-2, e falhou o objectivo de marcar presença, pela terceira temporada consecutiva, na final-four da prova em que foi finalista vencido na edição anterior.

- Pub -

Os golos apontados por Jaquité, no derradeiro lance do primeiro tempo, e por Ricardo Alves, na seguda parte, deitaram por terra as aspirações dos vitorianos que ainda conseguiram reduzir a desvantagem através de uma grande penalidade apontada por Zequinha aos 90 minutos do encontro.

Com o êxito obtido em Setúbal, o Tondela, conjunto que o Vitória derrotou há três semanas no campeonato (também por 1-2), acalenta o sonho de destronar o Sporting de Braga do primeiro lugar do grupo B. A missão é hercúlea uma vez que os beirões não dependem apenas de si para conseguir o apuramento.

Para chegar à final four da Taça da Liga, o Tondela, que tem um saldo nulo de golos, enquanto os minhotos, a quem basta uma igualdade no Estádio do Bonfim na terceira e última jornada do grupo, têm um saldo positivo de seis, terá de golear o Nacional e esperar por uma derrota do Sporting de Braga com o Vitória.

Tal como fez o adversário, o treinador Lito Vidigal fez várias alterações no onze inicial. Além das já esperadas ausências dos internacionais Joel Pereira, Mikel Agu e Mendy, o técnico deixou, por opção, habituais titulares como Mano, Vasco Fernandes e Éber Bessa, por exemplo.

Os primeiros 30 minutos de jogo foram equilibrados mas desinteressantes em termos de emoção. A exceção foi um golo invalidado ao Tondela, por falta de Ricardo Alves sobre o guarda-redes Cristiano, aos 21 minutos, lance e, que os beirões contestaram a decisão do árbitro portuense Rui Costa.

Obrigado a vencer para adiar para a última jornada do grupo a decisão do apuramento com o Sporting de Braga, o Vitória só conseguiu levar perigo à baliza contrária já perto do intervalo. Aos 35 e 39 minutos, o avançado venezuelano Jhonder Cádiz foi ineficaz nas ocasiões flagrantes que dispôs para desfeitear o guarda-redes Pedro Silva que substituiu o habitual titular Cláudio Ramos.

Na baliza contrária não faltou eficácia ao Tondela na derradeira jogada do primeiro tempo, conseguindo ir para o intervalo a vencer por 0-1. Aos 45+1 minutos, o guineense Jaquité desferiu um remate forte e colocado, de fora da área, que não deu hipóteses de defesa ao guarda-redes Cristiano.

No segundo tempo, a perder por 0-1, os vitorianos entraram melhor e conseguiram em diversas ocasiões acercar-se com perigo da baliza contrária. Sem efeitos práticos nas várias incursões à baliza contrária, o Vitória voltaria a sofre novo golo. Na sequência de um canto de João Mendes, aos 61 minutos, Ricardo Alves respondeu com um cabeceamento certeiro para o 0-2.

O Vitória esboçou nova reacção, mas o melhor que conseguiu foi chegar ao golo de honra, aos 90 minutos, através da conversão de uma grande penalidade convertida por Zequinha. Nos três minutos de compensação o Vitória ainda conseguiu ficar perto da igualdade, mas o remate de Allef, que rendeu o desinspirado Jhonder Cádiz, falhou o alvo.

Após a derrota com o Tondela, o Vitória, que jogará a 28 de Dezembro com o Sporting de Braga para cumprir calendário na derradeira jornada do grupo B, centra agora as suas atenções na Taça de Portugal onde vai defrontar, no próximo fim-de-semana, o Penafiel, da II Liga.

Nota ainda para o facto de os adeptos presentes no Bonfim terem aplaudido e voltado a estar em perfeita comunhão com os jogadores, que retribuíram o gesto aos vitorianos que assistiram à partida.

 

Lito Vidigal: «Nunca desistimos do jogo»

Apesar da derrota, o saldo é positivo. Demos oportunidade a jogadores que não têm jogado tanto e que deram uma boa resposta. Criámos as primeiras oportunidades claras de golo no jogo. Não perdemos identidade mesmo com muitas mudanças que fizemos. Mesmo a perder ainda recuperámos no marcador e lutámos até ao fim pelo resultado. Nunca desistimos do jogo.

Tenho vindo a procura a existência de uma energia positiva entre equipa e adeptos. Sentiu-se isso pela empatia que se vê entre as partes. Há uma ligação muito forte. Queremos desenvolver isso com mais adeptos no estádio. Temos de jogar futebol de qualidade para os trazermos. Infelizmente, hoje não conseguimos vencer.

Os jogadores [não uitilizados] vão treinar já. Porque temos o próximo jogo [com o Penafiel na Taça de Portugal] para vencer.

[Resultado injusto] Não digo isso. Tivemos mais oportunidades claras na primeira parte. Se tivéssemos mais arte tínhamos começado jogo na frente do marcador. O Vitória tem de como objectivo ficar na I liga o que vier a mais vem por acréscimo. Vamos Trabalhar para ganhar jogo seguinte.”

Comentários

- Pub -