Não ouvir a população do Monte Belo

57
visualizações
Paulo Pisco – PSD

 

- Pub -

“Ouvir a população, construir o futuro” (OPCF) é, de acordo com a Câmara de Setúbal, um projeto que através da participação dos munícipes permite ao município e às freguesias identificar e resolver as suas principais necessidades. No entanto, não nos parece ter sido assim que aconteceu com a intervenção recentemente concluída na Av. Álvaro Cunhal (AvC) no Monte Belo (MB).

Dos diversos problemas identificados ao longo dos anos assim como nas ultimas reuniões realizadas no âmbito da OPCF, a falta de estacionamento e a pouca articulação entre o MB norte e sul, têm sido os mais referidos. Aumentar o número de lugares de estacionamento é urgente, mas tornar a AvC numa via mais urbana também é essencial em qualquer intervenção, para tornar estes bairros mais próximos entre si e com o resto da cidade. Neste sentido o que foi conseguido com as obras recentemente inauguradas?

Afunilaram-se as vias, fazendo-se um passeio no lado norte e aumentando o separador central e acrescentaram-se duas passadeiras, uma a meio do troço, e outra a nascente, junto à rotunda do “Zéfiro”, ambas ainda sem qualquer ligação com o MB norte, mantendo-se a existente junto à rotunda dos “golfinhos”. Na passagem desnivelada, do lado do MB sul, foram criados na Rua Fernão Lopes mais 14 lugares de estacionamento. Para além destas intervenções ao nível da imagem urbana colocaram-se um conjunto de desenhos realizados por Álvaro Cunhal, assim como um retrato do próprio, no separador central. Ou seja, gastou-se dinheiro congestionando o tráfego da cidade durante as obras, sem se responder às reais necessidades dos moradores. Mais estacionamento e melhor ligação entre o MB sul e norte.

Para que terá servido “ouvir a população”, perguntam então os leitores? Neste caso não se percebe, pois praticamente nada do que se pretendia ver resolvido aconteceu. Uma iniciativa louvável, a de ouvir a população quando não tem consequências cria nos eleitores a percepção de terem sido duplamente enganados: i) Porque votaram em quem não lhes resolve os problemas e ii) pediram-lhes para participarem sem terem em conta as suas opiniões.

A participação cidadã, não pode ser confundida com controle, manipulação ou propaganda. A realização de obras na AvC, como defendemos no passado recente (ver https://www.facebook.com/psdseccaodesetubal/photos/a.589096371180304/1705945586162038/?type=3&theater), deveria ter servido para ajudar a resolver problemas da população do MB e não para criar um cenário para enaltecer um líder partidário ou uma ideologia política. Não discuto aqui os méritos, da pessoa ou do partido, apenas sublinho que é preciso fazer diferente. Afinal os recursos públicos são limitados.

Comentários

- Pub -