“Zé dos Gatos” inspira nova peça de teatro na cidade

47
visualizações

Nova produção da  Academia de Teatro de Setúbal (ACTAS) é sobre vida de José Maria Tavares, o “Zé dos Gatos”

O produtor e actor Bruno Frazão apresenta em nome da ACTAS – Academia de Teatro de Setúbal, “um espectáculo de teatro para a família: “Zé Gato”. Uma peça, com estreia agendada para 7 de Dezembro no Grupo Desportivo Independente, com textos e encenação da sua autoria.

- Pub -

Bruno Frazão assume que esta peça “traz bastante responsabilidade para a ACTAS, porque foi baseada numa história de vida real. As vivências de José Maria Tavares, também conhecido em Setúbal por Zé dos Gatos ou Zé dos Malucos”.

Um espectáculo infantil, para toda a família, “que retracta a importância da inclusão, o envelhecimento activo, a amizade, a solidão, a diferença e o respeito que devemos manter pelos outros”.

O autor destaca que, “com este espectáculo não se pretende apenas homenagear este personagem de Setúbal, mas todos aqueles que escolherem uma forma de estar na vida diferente, colocando de lado o consumismo e o luxo, vivendo sobre as suas próprias regras”.

“Zé Gato” nasce a partir da participação de Bruno Frazão na Feira de Sant’Iago, com uma interpretação inspirada no “Zé dos Gatos”. Época sobre a qual Bruno Frazão destaca “estava precisamente à procura de uma inspiração para uma nova peça e durante os 15 dias em que interpretei o Zé dos Gatos surgiu essa inspiração”, revela.

O nome da peça, contudo, ficou definido como “Zé Gato”, “porque durante a Feira de Sant’Iago muitos foram os visitantes que abordaram o personagem apelidando-o apenas como: Zé Gato”.

Ao longo da peça é feita uma interacção entre o “Zé Gato” e os muitos gatos de que cuidava e eram os seus únicos companheiros de vida. “Existe um diálogo que o Zé mantém com estes companheiros nos momentos de solidão que preencheram a sua vida e uma outra versão, em que os próprios gatos ‘conversam’ entre si. Animais que acabavam por colorir a vida de Zé Gato”, conta Bruno Frazão.

José Maria Tavares “era visto na cidade como um sem-abrigo, incompreendido, mas que tinha alguns amores na sua vida, os seus gatos, os seus truques de magia e apostas, o divertir as crianças e a feira”.

Fernando Soares, representante das lojas MacDonald’s de Setúbal e Palmela, destaca a parceria de mecenato com a ACTAS como, “uma relação de proximidade cultural que tem sido reforçada por apresentações realizadas pela Academia, ao fim-de-semana, nas lojas de Setúbal e Palmela. Uma interacção que permitiu criar uma boa ligação com o público e que certamente se reflectirá na aceitação desta nova produção”.

A par do MacDonald’s, o IPDJ – Instituto Português do Desporto e Juventude é também parceiro da academia em mais esta produção. Em representação do IPDJ, Isabel Bastos afirmou “os apoios ao incentivo jovem vão-se manter, sendo determinante a passagem de valores e a reflexão sobre o que acontece ao nosso redor, através de peças de teatro como esta”.

O compositor Nuno Jordão, autor das músicas apresentadas nesta produção recorda que “devido a arranjos muito específicos foi necessário adiar a estreia da peça, agora agendada para 7 de Dezembro, no Grupo Desportivo Independente”. A apresentação no G.D. Independente representou um investimento de total de cinco mil euros, “tendo sido necessário realizar adaptações o palco e adquirir material eléctrico e de produção de efeitos especiais”. Um orçamento em que o MacDonald’s participou com mil euros, o IPDJ com 1 500,00 euros e a Secil “também mecenas das ACTAS”, refere Bruno Frazão, com 500,00 euros.

Comentários

- Pub -