Mendy e Cádiz tiveram cabeça para dar três pontos ao Vitória

19
visualizações

O Vitória FC somou na sexta-feira à noite o quarto triunfo na I Liga ao vencer o Feirense, por 2-1, em partida da 10.ª jornada. Com a conquista dos três pontos, os comandados de Lito Vidigal voltaram a fixar-se na primeira metade da classificação com 14 pontos, dispondo agora de cinco de vantagem em relação à linha de água.

- Pub -

Todos os golos da partida, realizada no Estádio do Bonfim, que há mais de um mÊs não era palco de jogos da equipa, foram apontados de cabeça. Mendy, aos 19 minutos, inaugurou o marcador para o Vitória e, ainda na primeira parte, Cris repôs a igualdade para o Feirense. Na segunda parte, depois de ser lançado no jogo, Jhonder Cádiz elevou-se nas alturas para fazer o 2-1 final.

Apesar do mau estado do relvado, que prejudicou a qualidade do futebol de ambas as equipas, o Vitória, com uma exibição que não deslumbrou, foi desde o primeiro minuto a equipa que mais fez para vencer. O Feirense, que prolongou em Setúbal a série que leva sem vencer no campeonato (oito jornadas), não conseguiu mostrar argumentos para quebrar o jejum de triunfos.

Apoiados nas banvadas por mais de dois mil adeptos, os sadinos entraram melhor no jogo, conseguindo um par de vezes criar perigo junto da baliza do Feirense ainda antes dos primeiros 15 minutos de jogo. Nuno Valente e Éber Bessa, aos 08 e 10, respectivamente, deixaram sérios avisos à baliza defendida por Caio Secco.

Depois dos avisos, o guardião brasileiro nada pôde fazer para evitar, aos 19 minutos, o 1-0 do Vitória num cabeceamento forte e colocado do avançado franco-guineense Mendy, que respondeu da melhor forma a um excelente cruzamento do brasileiro Éber Bessa.

Em desvantagem no marcador, o conjunto de Santa Maria da Feira sentiu dificuldade em suster o ímpeto vitoriano que foi em busca do segundo golo. Aos 25 minutos, Éber Bessa, um dos jogadores mais influentes da equipa, de livre direto, ameaçou ampliar o marcador.

Contra a corrente de jogo, o Feirense conseguiu a igualdade num lance em que o guarda-redes Joel Pereira teve responsabilidades. O guardião cedido pela Manchester United, saiu mal a um lançamento lateral e socou a bola na direção de Cris. O capitão dos fogaceiros não se fez rogado e, de cabeça, aos 33 minutos, fez o 1-1 para os forasteiros.

Insatisfeito com a igualdade verificada, o Vitória procurou voltar para a frente do placar ainda antes do intervalo. A melhor oportunidade nesse período para conseguir retomar a dianteira do marcador surgiu através de um remate cruzado de Nuno Valente que saiu ao lado do poste direito da baliza defendida por Caio Secco.

No segundo tempo, numa partida muito disputada a meio-campo, a qualidade de baixou e as oportunidades de golo junto de ambas as balizas também foram uma raridade. Aos 59 minutos, o treinador Lito Vidigal lançou em campo Jhonder Cádiz, venezuelano que, aos 72 minutos, fez o 2-1 para os sadinos, de cabeça, após canto na esquerda de Nuno Pinto.

Até ao final, apesar da pressão do adversário, os sadinos cerraram fileiras e conseguiram segurar a vantagem que lhes garantiu a conquista dos três pontos. Como vem sendo hábito nos últimos encontros, a equipa celebrou o êxito junto dos adeptos, que entoaram cânticos e aplaudiram os jogadores que se juntaram às celebrações.

Lito Vidigal: “Queremos ter 10 mil vitorianos no estádio”

“A equipa mostrou que está coesa, forte e tem uma atitude competitiva fortíssima. Vencemos com justiça e tivemos mérito pela atitude e concentração. Devido ao mau estado do relvado, não apresentámos a qualidade de futebol que temos vindo a apresentar. No entanto, o principal foco é a vitória e isso foi conseguido.

O relvado estava impraticável. Nem sequer treinamos cá. Levámos tempo a adaptar-nos ao estado do relvado, mas quando o fizemos dominámos.

É importante criar esta relação simbiótica com os adeptos vitoriamos. Queremos o estádio cheio. Queremos ter 10 mil vitorianos no estádio. Os jogadores querem festejar vitórias com os adeptos. Só com o apoio deles podemos ultrapassar as dificuldades.

[Esperava Feirense mais ambicioso?] Estou mais focado na minha casa. Mesmo na antevisão dos jogos raramente falo dos adversários, depois dos jogos ainda menos o farei.

[O que fazer para melhorar estado do relvado?] Gostava que o tratassem e estivesse melhor. Temos jogado com qualidade e merecemos um relvado melhor.

[Substituição de Éber Bessa] Saiu porque já tinha cartão amarelo. Com terreno em mau estado, uma má decisão podia levar ao segundo amarelo.

[50 vitórias na Liga do treinador Lito Vidigal] Nem sabia. Não penso no número, trabalho e quero ganhar o próximo jogo. Não faço essas contas. É interessante, é giro. Vou preparar para ganhar o próximo.”

Comentários

- Pub -