Cidade homenageia soldados da Grande Guerra e defende valores da paz

59
visualizações

No dia em que se assinalou o armistício da I Guerra Mundial, assinado a 11 de Novembro de 1918, Setúbal recordou os seus mais de 200 soldados que participaram no conflito e a história da Europa na busca pela paz

- Pub -

 

 

Por Ana Martins Ventura
Fotografia Alex Gaspar

 

Na cerimónia de homenagem sobre o centenário do armistício, que assinalou o final da I Guerra Mundial a 11 de Novembro de 1918, Setúbal recordou os mais de 200 soldados do concelho que estiveram presentes na batalha La Lys, em França.

Um momento em que a Câmara Municipal, representada pelo vereador Ricardo Oliveira; Rui Canas, presidente da União das Freguesias de Setúbal; o bispo de Setúbal D. José de Ornelas; o general José Lemos Ferreira; o comandante da Artilharia 5, coronel Dias Martins; na representação do Comando Territorial da GNR, o alferes Miguel Mendes; em representação do Comando Distrital da PSP, Luís Lino; representantes do Núcleo de Setúbal da Liga dos Combatentes; o comandante dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, José Lourenço; representantes da Capitânia do Porto de Setúbal e representantes do Clube Militar de Setúbal, em união, assinalaram esta data.

Uma cerimónia em que “Setúbal, cidade e município, se afirmou como defensora dos valores da paz, da cooperação, solidariedade e amizade entre os povos”, apresentou o vereador Ricardo Oliveira.

Um dia em que se recordou o primeiro grande conflito mundial que se distanciou apenas 20 anos da II Grande Guerra. Conflitos que, segundo referiu Ricardo Oliveira, “deixaram uma firme decisão de, enquanto europeus, não voltarmos, nunca mais, a discutir com armas nos campos de batalha”.

 Presença portuguesa na Grande Guerra

Portugal participou activamente na I Guerra Mundial, entre 1914 e 1918, com cerca de 107 mil militares dos quais o Núcleo de Setúbal dos Antigos Combatentes refere, “7 mil pereceram e cerca de 9 mil ficaram incapazes”.

O historiador setubalense, Diogo Ferreira, autor da tese de mestrado “Setúbal na I Guerra Mundial”, destacou com especial emoção a história dos 164 setubalenses e dos 46 azeitonenses que estiveram no conflito. “Histórias que estão agora patentes numa exposição, na Galeria do Regimento de Infantaria 11,produzida em colaboração com a Câmara Municipal, para homenagear os nossos soldados”. Um percurso em que Diogo Ferreira destaca “o papel determinante do Núcleo de Setúbal da Liga dos Combatentes”.

Comentários

- Pub -