Novos empreendimentos turísticos em Alcácer do Sal começam a mexer

68
visualizações

Pousada de Vale de Gaio vai ser alargada e Herdade de Rio Mourinho avança com resort e hotéis rurais no Pego do Altar. Autarquia diz que há uns quatro projectos “a evoluir”

- Pub -

Dois projectos de investimento turístico no concelho de Alcácer do Sal dão sinais formais de arranque, com a aprovação pela Câmara Municipal, ontem, de isenções das taxas de infraestruturas urbanísticas.

A autarquia aprovou a isenção de pagamento de 5.300 euros, solicitada pelo proprietário da Pousada de Vale de Gaio, e de 240 mil euros pedida pela Sociedade Agroturística da Herdade de Rio Mourinho. No caso da pousada trata-se de uma isenção total enquanto no cosa da Herdade de Rio Mourinho, a isenção é de 60%, tendo a sociedade de pagar 161 mil euros de taxas.

A Pousada de Vale de Gaio vai realizar obras de ampliação, num reforço da capacidade da unidade que é cada vez mais procurada para estágio de equipas e selecções nórdicas e de países de leste. O local do empreendimento, à beira da Barragem de Vale de Gaio, é muito apreciado para o Remo. Este investimento prevê a criação de seis novos postos de trabalho.

600 postos de trabalho em Pego do Altar

As obras de infraestruturas urbanísticas de que a Sociedade Agroturística da Herdade de Rio Mourinho pediu isenção parcial de pagamento são relativas ao grande empreendimento turístico para Pego do Altar.

O projecto inclui a construção de um resort, quatro hotéis rurais, um centro náutico, um centro de interpretação ambiental e um parque público, num investimento de cerca de 80 milhões de euros.

Segundo o requerimento apresentado pelo promotor “espera-se que a construção do conjunto turístico venha a desempenhar um elevado efeito propulsor dos objectivos estratégicos estabelecidos pelo próprio município de desenvolvimento económico e social, graças à instalação destas actividades económicas e à criação de emprego na freguesia de Santa Susana”.

A Herdade de Rio Mourinho prevê a criação de 600 postos de trabalho, além dos da fase de construção. “Para além do impacto indirecto causado pela afluência de turistas ao local – não só utentes dos empreendimentos turísticos como os visitantes das áreas de uso público – este investimento garantirá um mínimo de 600 postos de trabalho na fase de operação permanente, para além dos postos de trabalho criados durante a fase de construção.”, refere.

O vice-presidente da Câmara, Manuel Vítor Jesus, revelou que, além deste dois casos, há mais uns quatro projectos turísticos em vias de concretização no concelho.

Alcácer está a ser muito procurada. Temos sete ou sete projectos que estão a evoluir”, revelou, assegurando que não se trata apenas de projectos de intenção ou “só no papel”.

 

PS contra isenção de taxas

A criação de emprego e riqueza foram o factor valorizado pela maioria CDU para aprovar os pedidos de isenções de taxas. “Esta é uma forma de apoiar a criação de postos de trabalho e o desenvolvimento no concelho”, disse o vice-presidente Manuel Vítor Jesus, que dirigiu a reunião em substituição do presidente Vítor Proença.

O PS votou contra, com o vereador Gabriel Geraldo a dizer que o município não devia abdicar dessa receita, que no caso da Herdade de Rio Mourinho é de 240 mil euros. “É espoliar receita do município” equivalente ao total dos impostos de IRS e derrama “pago por toda a população de Alcácer”.

Manuel Vítor de Jesus (CDU) respondeu com uma pergunta: “É preferível ganhar o valor destas taxas e deixar que o promotor vá para outro lado, ficando nós sem os postos de trabalho e o investimento?”

 

Construção do Interface de Transportes “nos próximos dias”

A empreitada de construção do novo Interface de Transportes na zona ribeirinha nascente da cidade de Alcácer do Sal vai começar “dentro de muito poucos dias”, revelou ontem a vereadora Ana Luísa Soares (CDU9.

Na reunião de câmara foi aprovado Desenvolvimento do Plano de Segurança e Saúde, elemento necessário para que empreiteiro possa iniciar os trabalhos.

Comentários

- Pub -