Presidente da República reconhece que Península de Setúbal é “sacrificada”

Marcelo mostra estar atento a este problema. Agora cabe à região aproveitar

77
visualizações
Francisco Alves Rito – Diretor O Setubalense – Diário da Região

Na visita que fez a Setúbal, o Presidente da República não poderia ter sido mais claro no que diz respeito à discriminação da Península de Setúbal no acesso aos fundos de coesão da União Europeia.

- Pub -

A nossa região, que o estudo recente da AISET revela ser já a quarta mais pobre de Portugal, com uma redução do PIB per capita de 68% para 55% da média comunitária, é “sacrificada”, reconhece o chefe-de-Estado.

“Queria agradecer aos municípios o que estão a fazer aqui em Setúbal, uma subárea da Área Metropolitana de Lisboa (AML), que, de alguma maneira, é sacrificada pelo facto dos cálculos para efeitos de fundos europeus serem cálculos globais da AML”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa. Acresce que o Presidente entende que é importante que “as assimetrias que existem (…) sejam rapidamente corrigidas”.

Estas palavras do chefe de Estado, ainda por cima proferidas por iniciativa própria – sem que ninguém o questionasse sobre o tema – significam que a questão é do conhecimento das instituições politicas nacionais e que os esforços de denuncia que têm vindo a ser desenvolvidos estão a produzir efeito.

Este facto deve servir de incentivo aos agentes locais e regionais, para que se mobilizem e empenhem nesta luta.

Já sabíamos da injustiça da situação, tínhamos noção da nossa razão e agora percebemos não apenas que somos ouvidos mas também que poderemos contar com a sensibilidade do Presidente da República.

Comentários

- Pub -