O segredo está na boa comunicação

71
visualizações
Pedro Guerreiro Cavaco – Advogado e militante do PSD

De forma transversal, nos últimos tempos, temos assistido um pouco por toda a parte, ao crescimento de movimentos políticos.
Diz-se que é um tempo, uma moda, um momento, algo circunstancial.

- Pub -

Não me parece que o seja. Sou crente que o facto do povo se rever nos movimentos políticos de cidadãos significa cansaço nos partidos e classe política. As pessoas, pelo menos na aparência, estão cansadas de sucessivas governações que não souberam, ou não puderam trazer um nível de vida desejado, semelhante e transversal, havendo uma Europa a dois ritmos.

Mas não só o nível de vida. Há mais que isso. A política defende ideias e construções ideológicas que, aqui e ali, poderão andar desfasadas ou dissociadas dos tempos que vivemos, em reiteradas mutações nos últimos anos.
Isto também se revela na política local.

As populações precisam sentir que os partidos existem além do período eleitoral. E face aos movimentos de cidadãos, é imperativo que os partidos mudem a maneira, não de fazer política, mas de a comunicarem.

Todos os dias somos absorvidos pela política nacional e, apenas na aparência, faz parecer que a política local não existe. Mas existe. Existe e é trabalhada.
Os autarcas só ganham se o povo souber o que fazem, o que defendem, as lutas que corporizam, as ideias que apresentam, as moções que defendem e as que repudiam.
Os autarcas fazem um trabalho meritório em prol dos seus representados, mas carecem que o seu bom trabalho seja evidenciado.

O PSD Seixal em concreto, e muitíssimo bem, reflectindo internamente esta realidade, vai apresentar em breve e nos tempos próprios, propostas muito objectivas, que irão ao encontro das muitas carências existentes no concelho. A política só é boa quando feita para os cidadãos.

Mas não basta ao partido e às pessoas, autarcas e militantes, fazerem boa política. É preciso comunicá-la. É importante que os cidadãos do concelho saibam o que os partidos fazem. Os partidos não são apenas e somente uma realidade que se apresenta ao eleitorado em eleições. Não. A realidade partidária é uma realidade que materializa um trabalho permanente. E este trabalho invisível tem forçosamente de se tornar visível.
E nesse sentido, ainda que nada tenha contra os movimentos de cidadãos, sempre bem-vindos, entendo que a sua margem de progressão estanca no dia em que os partidos forem mais queridos pelo povo, no dia em que o povo sinta que os partidos corporizam as suas necessidades e a elas dão pronta resposta.

A população do concelho do Seixal precisa saber o que o PSD Seixal faz. E o PSD Seixal precisa que a população o saiba.

Comentários

- Pub -