Octávio Machado acusa Governo de falta de respeito pelos bombeiros

35
visualizações

Presidente da Associação dos Bombeiros de Palmela crítica Orçamento de Estado e nova legislação

Fátima Brinca

- Pub -

Octávio Machado é presidente dos Bombeiros de Palmela há mais de 20 anos e se por um lado enaltece a Câmara de Palmela, que “foi a pioneira de um protocolo para a criação de equipas de permanência”, por outro lado critica o Governo que “não nos dá nada, pois esta casa paga por mês sete a nove mil euros de Segurança Social e recebe do Estado cinco mil euros mensais”.

O dirigente palmelão vai mais longe afirmando que “existe uma enorme falta de respeito do Governo pelos bombeiros portugueses e não eu apenas a sentir que a o Orçamento de Estado e a nova Lei Orgânica são extremamente lesivos para as instituições de segurança e protecção das populações e o tempo dirá se tenho razão ou não”.

A nova lei orgânica, destaca, “deixa no ar algumas condições, mas tivemos uma reforma em 2006, que ainda não estava consolidada e agora aparece esta em 2018 e que passa completamente ao lado da maior força de protecção do país”. E acrescenta “saberemos falar a uma só voz e dizer àqueles que nos tratam com deselegância e desprezo que pouco ou nada é possível sem os bombeiros, que estão magoados e tristes pelo tratamento que lhes é dado”.

Octávio Machado defende que  “o Estado não consegue fazer melhor e não tem que estragar, mas apoiar as associações criadas pelo povo, porque os bombeiros nunca irão pôr em causa a segurança das pessoas e dos seus bens”.

As comemorações do 81º aniversário dos Bombeiros de Palmela realizam-se no próximo domingo e um dos pontos altos será a inauguração das obras do quartel, que envolveram montantes superiores a 310 mil euros, conforme explica o presidente Octávio Machado, pois “tivemos imprevistos inesperados onde realizámos o reforço dos pilares e problemas que obrigaram a intervenções de técnicos de arqueologia”.

Mas anuncia que “os investimentos estão controlados e pagos, mas ainda temos que proceder ao recheio das novas instalações com camas, colchões e equipamentos que envolvem mais umas largas dezenas de milhares de euros”.

O aniversário contará também com a bênção de duas novas viaturas, uma de emergência comparticipada pelo INEM e outra de transporte de doentes não urgentes, que “será paga integralmente pela Associação” revela.

Comentários

- Pub -