Tribunal de Setúbal aplicou primeira pena de prisão efectiva por maus-tratos a animais

70
visualizações

Homem de 68 anos, da Venda do Alcaide, condenado a 16 meses de cadeia por esventrar cadela grávida

 

- Pub -

O Tribunal de Setúbal foi o primeiro do país a aplicar uma pena de prisão efectiva por maus-tratos a animais de companhia, com a sentença, lida na quarta-feira, que condena um homem a 16 meses de cadeia por ter esventrado a sua cadela.

Hélder Pasadinhas, de 68 anos de idade, que foi enfermeiro na guerra do Ultramar, abriu a barriga da cadela para retirar os fetos, por entender que o animal estava em sofrimento.

A intervenção feita a sangue frio, acabou por causar a morte da Pantufa – nome da cadela arraçada de pastor-alemão – algumas horas depois. Os quatro cães que o homem retirou foram atirados para lixo, onde morreram também de fome e frio.

O autor foi condenado por quatro crimes de maus tratos agravados, com o tribunal a não dar como provado que um dos quatro cães tivesse nascido vivo.

Um vizinho que ajudou à operação, Pedro Brinca, foi condenado a 90 dias de multa, num total de 360 euros.

Os factos ocorreram no dia 3 de Fevereiro de 2016, na Estrada dos Espanhóis, concelho de Palmela.

O condenado disse ao PÚBLICO que operou a cadela porque alguns cães já estavam mortos no útero, na sequência de uma pancada que a cadela sofreu, que não a levou a um veterinário por não ter dinheiro e que vai recorrer da sentença. Até ao trânsito em julgado, fica em liberdade.

 

Comentários

- Pub -