MONTIJO | Avenida 25 de Abril embelezada com árvores de flor vermelha

121
visualizações

Nova espécie substitui ‘mimetização de plátanos’ que foram removidos. Presidente da Câmara explicou que a intervenção foi motivada por um problema fitossanitário que atingiu algumas árvores. Oposição defendeu que a autarquia deveria ter apenas substituído os exemplares afectados

- Pub -

As mais de cinco dezenas de árvores que embelezavam a Avenida 25 de Abril, no Montijo, estão a ser substituídas por exemplares de uma nova espécie, a Erythrina crista-galli, que dá flor vermelha e que é característica de países da América do Sul, como Argentina e Uruguai. A explicação foi dada pelo presidente da Câmara Municipal, Nuno Canta, durante a reunião pública do executivo, realizada na última quarta-feira, nos Paços do Concelho, depois de o vereador da CDU, Carlos Jorge de Almeida, ter contestado a decisão.

Segundo o comunista, a intervenção foi despropositada, já que “de um total de 56 árvores” apenas “cinco ou pouco mais não se encontrariam em condições”, a avaliar, disse, pela informação que lhe foi disponibilizada.

Carlos Jorge de Almeida acusou a gestão socialista de sofrer de um “complexo de lenhador” e defendeu que “os mais de 20 mil euros investidos” no processo poderiam ter sido poupados, se a opção passasse apenas por substituir os plátanos necessários. “O que ali estava era um contributo apreciável para a nossa qualidade de vida”, considerou, antes de Nuno Canta vincar que as árvores substituídas não eram propriamente plátanos, mas sim “uma mimetização de plátanos”, face à sua envergadura.

O presidente da autarquia justificou que a decisão foi tomada de forma consciente, tendo por base pontos de vista como “a funcionalidade e a segurança”, entre outros, ao invés de o problema ter sido encarado sob uma perspectiva “simplista”, e lembrou a tragédia ocorrida na Madeira, com a queda de uma árvore, que resultou em mortes e em autarcas do executivo camarário do Funchal constituídos arguidos.

Sobre o estado em que se encontravam as árvores na Avenida 25 de Abril, Nuno Canta foi peremptório: “No caso, notava-se o apodrecimento do interior de algumas árvores. Havia um avançado problema fitossanitário nas árvores, isso foi detectado pelos serviços e decidimos que um dia teríamos de as substituir.”

‘Perdeu-se um bom jardineiro…’

A espécie escolhida para substituir as árvores removidas não existia no Montijo, antes de ter sido plantada junto às Piscinas Municipais, e apresenta a vantagem de não necessitar de poda, disse o socialista. Além disso, frisou, a opção por uma árvore diferente que vem aumentar a diversidade de espécies no Montijo, garantindo assim maior sustentabilidade ao ecossistema da cidade e também “um melhor contributo estético” à avenida. “Se tivéssemos, por exemplo, só palmeiras na cidade, quando apareceu a praga do escaravelho teríamos ficado sem arborização”, exemplificou.

Aspecto da nova espécie que está a ser plantada

Perante as explicações do presidente da Câmara, o vereador eleito pela coligação PSD/CDS-PP, João Afonso, mostrou-se irónico e crítico. “Perdeu-se um bom jardineiro, mas os seus argumentos não convencem o PSD”, atirou o social-democrata, afirmando que “a mancha verde” que existia no local tinha somente algumas árvores com sinais de podridão.

“Deveria ter sido feita uma renovação natural. O problema é que os viveiros e os jardins no Montijo estão numa penúria”, defendeu, acrescentando que a opção agora tomada deixou “alguns arquitectos de cabelos em pé”, até porque as árvores removidas “faziam harmonia” entre o Parque Municipal e a Avenida dos Pescadores.

“Não tínhamos uma mancha verde, mas sim árvores de alinhamento, fique a saber para o caso de pretender vir a ser jardineiro”, retorquiu Nuno Canta, juntando: “Nada disto tem a ver com viveiros, que têm as árvores que são necessárias ter. Temos lá um património que o senhor vereador desconhece e não percebo como vem dizer isto aqui.”

A concluir, o socialista atirou: “O PSD anda há muitos anos a procurar que o presidente da Câmara vá a tribunal. Se calhar aplaudiria se caísse alguma árvore.”

Gafe presidencial entre Uruguai e Chile

A nova árvore é símbolo nacional da Argentina e a sua flor foi adoptada como flor nacional uruguaia. Nuno Canta acertou na primeira parte, mas equivocou-se na segunda, trocando o Uruguai pelo Chile, cuja flor nacional também é vermelha, mas de outra espécie. A Erythrina crista-galli é também característica do sul do Brasil e do Paraguai.

Comentários

- Pub -