Vitória só pensa bater Benfica para conquistar Torneio Internacional do Sado

0
85
visualizações

O Vitória FC venceu anteontem os sérvios de Napredak, por 2-1, e vai discutir hoje (20:30), no Estádio do Bonfim, com o Benfica – que na terça-feira tinha também ganhado à equipa dos Balcãs (3-0) – a conquista do Torneio Internacional do Sado. Sadinos e águias têm três pontos e vão procurar, numa partida que serve de teste, arrecadar o primeiro troféu de 2018/19.
A equipa de Lito Vidigal, treinador que anteontem celebrou o seu 49.º aniversário, conseguiu levar a melhor sobre a equipa da Sérvia depois de operar, na segunda parte do encontro, a reviravolta no marcador. O defesa Nuno Pinto e o médio Rúben Micael, uma das caras novas da nova temporada, facturaram aos 52 e 86 minutos, respectivamente.
O golo do Napredak, que passou a actuar em inferioridade numérica devido à expulsão de Marinkovic, aos 50 minutos, foi apontado aos 38, por intermédio de Kostic Miroljub na única oportunidade de golo que a sua equipa teve em toda a primeira parte. Nesse período, os sadinos dominaram, mas foram ineficazes na finalização, como ilustram as oportunidades desperdiçadas por Alex Freitas, Éber Bessa, Nuno Pinto e Allef.
Aos 52’, os sadinos chegaram à igualdade num livre direto cobrado de forma irrepreensível por Nuno Pinto e, aos 86, foi a vez do reforço Rúben Micael, com um remate colocado, fazer o golo do triunfo dos anfitriões. Além dos autores dos golos, a outra figura da noite foi o guardião Milton Raphael, que travou três penáltis na série de cinco (4-2 para os sadinos), apontada para o caso de ter de se usar esse critério de desempate no final do torneio.
Além de os cerca de 300 adeptos presentes no Bonfim terem aplaudido e gritado pelo nome do guarda-redes Milton Raphael, mais uma das caras novas de 2018/19, celebraram as grandes penalidades convertidas por Nuno Valente, Rafinha, Gustavo Cascardo e Victor Veloso, marcadores de serviço da marca dos 11 metros. André Sousa foi o único a não conseguir bater o guardião sérvio.
Refira-se que o onze inicial dos sadinos, ainda sem os reforços Savio Roberto e Mendy, foi constituído por Miguel Lázaro (rendeu Cristiano que recupera de problemas físicos), Mano, Artur Jorge, Vasco Fernandes, Nuno Pinto; Costinha, José Semedo, Éber Bessa; Alex Freitas, Allef e Leandro Resida. Na segunda parte alinharam ainda: Milton Raphael, Nuno Reis, Rúben Micael, André Sousa, André Pedrosa, Nuno Valente, Valdu Té, Pedro Pinto, Victor Veloso, Gustavo Cascardo e Rafinha.

- Pub -

Nuno Pinto diz que duelo com o Benfica é de “50-50”
“Vamos fazer tudo para o troféu ficar na nossa casa”

Depois de ter marcado de livre directo o golo que deu início à reviravolta que o Vitória fez sobre o Napredak, o defesa Nuno Pinto manifestou a ambição de conquistar hoje o Torneio Internacional do Sado. Frente ao Benfica, jogo que considera haver 50 por cento de hipóteses de êxito para cada lado, o jogador promete aplicação máxima. “Vamos jogar em casa, diante do nosso público, e queremos dar-lhes uma alegria já na pré-época, fazendo tudo para o troféu ficar na nossa casa”.
Que análise faz ao jogo em que o Vitória venceu o Napredak (2-1) depois de estar a perder?
Fomos a única equipa que tentou ganhar o jogo, principalmente na primeira parte em que criámos muitas oportunidades mas faltou-nos concretizar. Pelo que fizemos nos 90 minutos, acho que fomos uns justos vencedores.
Segundo jogo da pré-época e segundo triunfo. Como está a ser este período?
Está a ser duro, mas vamos colher dividendos disso no futuro porque nos vamos apresentar bem fisicamente. Nestes dois jogos já demonstrámos qualidade, o importante é ganhar e manter esse espírito. Conseguimos fazê-los nos dois jogos que fizemos.
Sendo um dos mais antigos do plantel, como tem visto a integração dos novos jogadores?
Todos falam português, logo aí as coisas tornam-se mais fáceis. São bons meninos, gostam de aprender e sabem ouvir. Quando isso acontece é sempre tudo mais fácil.
Como têm sido as primeiras semanas de trabalho com Lito Vidigal?
Tem sido bom, nunca tinha trabalhado com o míster. Nota-se que é uma pessoa do futebol, percebe bastante e vive muito o futebol. Tenta transmitir-nos sempre uma mentalidade ganhadora.
Marcou um golo no jogo de estreia no Bonfim. Pode ser um bom prenúncio para a época que aí vem?
Sim, mas o futebol é um desporto colectivo e tenho de pensar primeiro na equipa. Marquei um golo, ajudei a equipa e isso foi bom. O importante foi o Vitória ganhar, não foi eu ter marcado um golo.
Com o triunfo sobre o Napredak, o Vitória discute com o Benfica o troféu no Torneio Internacional do Sado. Que hipóteses têm de vencer?
Sexta-feira (hoje) será a final do torneio. Penso que será um jogo de 50-50, apesar de o Benfica ser um clube grande. Vamos jogar em casa, diante do nosso público, e queremos dar-lhes uma alegria já na pré-época, fazendo tudo para o troféu ficar na nossa casa.
Não estiveram muitos adeptos nas bancadas [cerca de 300] mas sentiu-se um grande apoio à equipa. É isso que vocês querem ver durante a época?
Sabemos que só com vitórias é que conseguimos atrair mais público ao estádio. Não estiveram muitos adeptos no jogo, mas sentimos bem o seu apoio. Os adeptos do Vitória são assim, sendo muitos ou poucos fazem sentir o seu apoio à equipa.

- Pub -

Queremos a sua opinião!