Ramalho Eanes defende em Setúbal aposta pública na educação

0
67
visualizações

Encontro trouxe também Daniel Bessa e Paulo Macedo ao Forum Luísa Todi

O antigo Presidente da República, Ramalho Eanes, esteve esta terça-feira, em Setúbal, no encontro com empresários da região, promovido pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e defendeu a educação como o melhor investimento público para o futuro do país.
Numa longa dissertação sobre o caminho que nos trouxe até aqui, e que passou pelo enquadramento histórico, o general concluiu que Portugal vive hoje os desafios da actual revolução industrial, que está em curso, independentemente da controvérsia sobre se é a terceira ou a 4.0, e que passa pela automação e pelo digital.
Ramalho Eanes apontou as “preocupantes tendenciais destrutivas” da actual revolução industrial, sobretudo no emprego, em que estamos perante um “novo paradigma” em que “as máquinas tendem a transformar-se em trabalho autónomo” e são “já uma ameaça” para os trabalhadores, a começar pelos menos qualificados.
Na perspectiva do ex-Chefe de Estado, a resposta a este problema passa pelo envolvimento do Estado, sobretudo através de politicas públicas que incentivem a educação e a investigação.
Logo a começar a intervenção, Ramalho Eanes deixou um elogio à empresária da Casa Ermelinda Freitas. “A Leonor Freitas – eu chamo-lhe assim – é uma empresária não de primeira água, mas de primeiro-vinho”, disse num tom de familiaridade, arrancando o riso das centenas de pessoas presentes.
A empresária do sector vitivinícola foi uma das personalidades da região convidadas para o painel sobre a economia regional, a par de José Luís Cacho, do Porto de Sines, e de João Castelo Branco, da Semapa, grupo que detém a Secil, na Arrábida.
O ‘XVII Encontro Fora da Caixa”, que decorreu durante a tarde no Fórum Luísa Todi, contou ainda com as intervenções do economista e ex-ministro Daniel Bessa e do presidente da CGD, Paulo Moita de Macedo.

Comentários

- Pub -