“Procuram atingir pela secretaria aquilo que o Vitória alcançou dentro de campo”

0
54
visualizações

Sadinos reagem em comunicado à pretensão do Paços de Ferreira em ocupar lugar do clube na 1.ª Liga

 

- Pub -

Dentro das quatro linhas, o Paços de Ferreira desceu esta época de divisão por ter terminado o campeonato da 1.ª Liga no penúltimo lugar. Apesar disso, o emblema nortenho acredita que pode manter-se no escalão principal na secretaria, ocupando o lugar do Vitória FC, que reagiu em comunicado, publicado na página oficial do clube, às pretensões dos pacenses vinda a público na imprensa desportiva nacional.

“A Vitória FC – SAD pautou sempre a sua atuação pelo cumprimento exemplar e escrupuloso de todo e qualquer regulamento das competições em que participa e repudia toda e qualquer forma de desestabilização, recusando-se a pactuar com tentativas de clubes terceiros que procuram atingir pela Secretaria aquilo que o Vitória, de forma justa e inequívoca, alcançou dentro de campo”, lê-se no documento.

No comunicado assinado pelo Conselho de administração da SAD vitoriana, presidida por Vítor Hugo Valente, acrescenta-se que “até ao momento a Vitória FC – SAD não recepcionou qualquer notificação provinda daquele organismo [Liga Portuguesa de Futebol Profissional a quem o Paços de Ferreira terá feito uma participação] relativamente ao assunto em causa ou a qualquer outro”.

Segundo o jornal Record, na origem da exposição feita pelo emblema pacense está o caso de João Amaral, que foi oficializado como reforço do Benfica na semana passada.  Na origem da polémica estão “as afirmações do ex-presidente dos sadinos, Fernando Oliveira, que assumiu que o extremo foi vendido ao Benfica no Verão de 2017, tendo assinado por quatro anos pelas águias. No entanto, como continuou a representar o emblema do Bonfim em 2017/18, o Paços de Ferreira pretende saber em que condições isso sucedeu e se ocorreu uma violação das regras relativas a empréstimos”, escreve aquele diário desportivo.

Recorde-se que na época transacta, o Benfica emprestou oficialmente três jogadores ao Vitória – Patrick Vieira, César e João Teixeira –, sendo esse o máximo permitido pelos regulamentos. O Paços quer esclarecer se João Amaral foi alvo de um “empréstimo encapotado, situação irregular que, caso se comprove, os nortenhos entendem que a sanção regulamentar prevista é a perda de dois pontos. Isso seria o suficiente para os vitorianos serem despromovidos à 2.ª Liga, continuando os pacenses a competir na 1.ª Liga”, escreveu Record na edição de ontem.

Vinho Vitória lançado esta quarta-feira na Casa da Baía

À margem da polémica, o Vitória lança quarta-feira, 6, pelas 17 horas, na Casa da Baía, na Avenida Luísa Todi, o Vinho Vitória, produção da cooperativa vitivinícola de Palmela que conta com as variedades tinto, branco e moscatel. Além do presidente da direcção vitoriana, Vítor Hugo Valente, a iniciativa contará com a presença de elementos das autarquias locais, responsáveis associativos e profissionais de restauração e hotelaria. Já em 2005, para assinalar a presença do clube na final da Taça de Portugal, o clube tinha lançado um vinho comemorativo.

- Pub -

Queremos a sua opinião!