Contas da permanência do Vitória estão muito complicadas mas José Couceiro não atira a toalha ao chão

0
95
visualizações

A uma jornada do fim do campeonato, as contas da permanência do Vitória FC estão mais complicadas que nunca, mas o treinador José Couceiro recusa-se a atirar a toalha ao chão, mostrando-se convicto de que a equipa vai conseguir evitar a descida no derradeiro jogo. “Estes miúdos não merecem estar na situação em que estão e por isso mesmo é que eles vão conseguir ganhar o jogo ao Tondela e vão ficar na primeira Liga. Porque merecem isso, pelo seu esforço, pela sua dedicação pelo seu profissionalismo”.
O sentimento do técnico foi transmitido logo após a derrota (2-1) sofrida anteontem no reduto do Estoril, que permitiu aos canarinhos colarem-se ao Vitória na cauda da classificação com os mesmos 29 pontos, posição que considera uma “tremenda injustiça para os jogadores que não merecem este tratamento”, disse em alusão aos erros que prejudicaram a sua equipa ao longo de 2017/18.
José Couceiro, que não acredita “em tantas coincidências”, deu como o exemplo da desigualdade de tratamento o lance que deu origem ao segundo golo dos estorilistas. O treinador criticou a actuação do vídeo-árbitro, por considerar que houve uma “falta clara” sobre Patrick no início do lance do 2-0 do Estoril. “Naquele momento mudou-se o jogo completamente. Os casos que se têm passado com o Vitória têm sido demais, um exagero”.
Ainda sobre o lance que deu origem ao 2-0 na Amoreira: “Acho inadmissível que, com as imagens televisivas, não se consiga perceber que a falta sobre o Patrick existe e que, na sequência dessa jogada, a equipa, que estava no ataque, fica desequilibrada”, disse, mostrando-se agastado com o que tem sucedido esta época. “Isto atingiu um nível exagerado, porque os erros têm de ser repartidos. A percentagem pode não ser igual, mas não é admissível que haja tantos erros, numa época em que nós temos a possibilidade de ver o jogo na televisão e de alertar o árbitro. Não faz sentido que não consigam perceber que há falta. São muitos pontos ao longo do campeonato”.
O treinador do Vitória fez questão de deixar uma mensagem aos adeptos. “É evidente que a massa adepta do Vitória está revoltada, está triste. Também nós, ninguém está mais revoltado e triste do que nós. Por isso, para os nossos adeptos uma palavra, porque isto não acabou, vai acabar na última jornada, no último momento”, disse José Couceiro no final do jogo, colocando o foco no duelo do fim-de-semana (ainda sem data e hora marcada).
Entretanto, o treinador José Couceiro participou ontem, na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, num seminário sobre “Futebol: Modelo de Jogo, Treino e Análise”. Na mesa redonda em que marcou presença sobre “Modelo de Jogo: múltiplos contextos”, José Couceiro, treinador do Vitória FC, teve ao seu lado Hélio Sousa, seleccionador nacional de Futebol Sub-19 e histórico capitão dos vitorianos, e Rui Jorge, seleccionador nacional de Futebol Sub-21, e Jorge Castelo, professor universitário, autor e treinador.

Comentários

- Pub -