PRÉMIOS CVRPS 2018 – Bacalhôa arrebata prémios seguida de Adega de Pegões e Casa Ermelinda Freitas

XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal realizou-se em Lisboa

0
169
visualizações

XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal atribuiu 56 medalhas, registando um novo recorde de empresas e vinhos participantes. Alguns produtores de Alcácer do Sal, Grândola e Santiago do Cacém ganharam pela primeira vez

 

- Pub -

A Bacalhôa – Vinhos de Portugal foi a empresa mais premiada no XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal, com 12 medalhas, seguida da Adega Cooperativa Santo Isidro de Pegões, com nove medalhas, e da Casa Ermelinda Freitas, com sete medalhas atribuídas. A entrega dos prémios da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CRVPS) decorreu numa gala na Estufa Fria, em Lisboa, quinta-feira, 03, à noite.

Entre as 12 medalhas obtidas pela Bacalhôa – Vinhos de Portugal (que na edição do ano passado havia ficado em terceiro lugar com sete medalhas) destacam-se as de Melhor Vinho a Concurso e Melhor Vinho Generoso entregues ao Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 30 anos – 1985, e a de Melhor Vinho Rosado entregue ao vinho Serras de Azeitão Syrah 2017.

A Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões também consagrou um vinho no grupo dos cinco melhores do concurso, com o Vinhas de Pegões Syrah 2017 (Melhor Vinho Tinto). No total, a empresa do Montijo ganhou nove medalhas, oito das quais de ouro. Já a Casa Ermelinda Freitas (que na edição passada ficou em segundo lugar) venceu sete medalhas, duas das quais de ouro.

A organização do evento atribuiu assim 56 medalhas no total (mais dez do que no ano passado) – 18 de ouro e 38 de prata –, tendo recebido 188 vinhos para prova de 27 produtores da região. “Face ao número mais elevado de prémios, esta edição fica marcada pelas confirmações: as empresas que costumam ganhar prémios mais uma vez ganharam e houve sobretudo a novidade de uma série de produtores mais pequenos, de Alcácer do Sal, Grândola e Santiago do Cacém, que ganharam pela primeira vez”, comentou Henrique Soares, presidente da CVRPS.

Contas feitas, no Top5 dos melhores vinhos a Bacalhôa – Vinhos de Portugal ganhou três medalhas (com os vinhos Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 30 anos – 1985 e Serras de Azeitão Syrah 2017), a Cooperativa de Santo Isidro de Pegões ganhou uma medalha (Vinhas de Pegões Syrah 2017) e a José Maria da Fonseca a medalha de Melhor Vinho Branco, com o vinho DSF Colecção Privada Verdelho 2017.

Nas medalhas de ouro ganharam as empresas Bacalhôa – Vinhos de Portugal (quatro), Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões (três), Casa Ermelinda Freitas (duas), Filipe Jorge Palhoça – CCH (uma), Maria Jacinta Nunes C.G.S. da Silva (uma), Resignon – Companhia Agrícola e Gestão (uma) e Sociedade Agrícola da Arcebispa (uma).

Já as medalhas de prata foram entregues à Casa Ermelinda Freitas (cinco), Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões (cinco), Bacalhôa – Vinhos de Portugal (quatro), Fernando Santana Pereira Unipessoal Lda (quatro), SIVIPA – Sociedade Vinícola de Palmela (quatro), Resignon – Companhia Agrícola e Gestão (duas), José Maria da Fonseca (duas), Filipe Jorge Palhoça – CCH (duas), Horário dos Reis Simões (uma), Sociedade Agrícola da Arcebispa (uma), Camolas & Matos (uma), Companhia Agrícola da Barrosinha (uma), Herdade Canal Caveira (uma), Amalur Enoturismo (uma) e José Manuel Gomes Serra (uma).

Os vinhos premiados [ver caixa com lista completa] foram avaliados por um júri de 22 pessoas – técnicos especialistas em análise sensorial das várias regiões vitivinícolas portuguesas, enólogos, jornalistas, escanções, docentes da Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal, provadores da ASAE e representantes da restauração –, que esteve reunido durante dois dias em provas na Escola e Hotelaria e Turismo de Setúbal.

O XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal é organizado há 18 anos pela Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal com objectivo de promover, valorizar e estimular a produção de vinhos de qualidade na região vitivinícola da Península de Setúbal.

LISTA DE PREMIADOS

MELHOR VINHO A CONCURSO
BACALHÔA MOSCATEL DE SETÚBAL SUPERIOR 30 ANOS – 1985
Vinho Generoso | D.O. Moscatel de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
 MELHOR VINHO GENEROSO
BACALHÔA MOSCATEL DE SETÚBAL SUPERIOR 30 ANOS – 1985
Vinho Generoso | D.O. Moscatel de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
MELHOR VINHO TINTO
VINHAS DE PEGÕES SYRAH 2017
Vinho Tinto, Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola Santo Isidro de Pegões, CRL
MELHOR VINHO BRANCO
DSF COLECÇÃO PRIVADA VERDELHO 2017
Vinho Branco, Regional Península de Setúbal
José Maria da Fonseca Vinhos, S.A.
MELHOR VINHO ROSADO
SERRAS DE AZEITÃO SYRAH 2017
Vinho Rosado, Regional Península de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
OS OUROS
BACALHÔA MOSCATEL DE SETÚBAL SUPERIOR 20 ANOS – 1997
Vinho Generoso | D.O. Moscatel de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
QUINTA DA INVEJOSA 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Filipe Jorge Palhoça – CCH
ADEGA DE PEGÕES GRANDE RESERVA 2013
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
QUINTA DA BACALHÔA, 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
BACALHÔA MERLOT 2014
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
BACALHÔA SYRAH 2015
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
CONTEMPORAL SELECTION 2012
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
BACALHÔA GRECO DI TUFO 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
ADEGA DE PEGÕES CABERNET SAUVIGNON 2015
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
SERRA DE GRÂNDOLA CEPAS CINQUENTENÁRIAS 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Maria Jacinta Nunes C. G. S. da Silva
BREJINHO DA COSTA EXCLUSIVE SELECTION SAUVIGNON BLANC 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
RESIGON – Companhia Agrícola e Gestão, S.A.
CASA ERMELINDA FREITAS SAUVIGNON BLANC & VERDELHO 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Casa Ermelinda Freitas Vinhos, Lda.
HERDADE DA ARCEBISPA RESERVA 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Sociedade Agrícola da Arcebispa, S.A.
DONA ERMELINDA RESERVA 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Casa Ermelinda Freitas Vinhos, Lda.
AS PRATAS
BACALHÔA MOSCATEL ROXO DE SETÚBAL SUPERIOR 20 ANOS – 1997
Vinho Generoso | D.O. Moscatel Roxo de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
BACALHÔA MOSCATEL ROXO DE SETÚBAL SUPERIOR 10 ANOS – 2003
Vinho Generoso | D.O. Moscatel Roxo de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
FAMÍLIA HORÁCIO SIMÕES SUPERIOR 10 ANOS
Vinho Generoso | D.O. Moscatel de Setúbal
Horácio dos Reis Simões
SIVIPA MOSCATEL ROXO DE SETÚBAL SUPERIOR 10 ANOS
Vinho Generoso | D.O. Moscatel Roxo de Setúbal
SIVIPA – Sociedade Vinícola de Palmela, S.A.
ALAMBRE 20 ANOS
Vinho Generoso | D.O. Moscatel de Setúbal
José Maria da Fonseca Vinhos, S.A.
CASA ERMELINDA FREITAS MOSCATEL DE SETÚBAL SUPERIOR 2007
Vinho Generoso | D.O. Moscatel de Setúbal
Casa Ermelinda Freitas Vinhos, Lda.
ENCOSTAS DA ARRÁBIDA 2015
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
TERRAS DA MOURA 2016
Vinho Tinto | D.O. Palmela
SIVIPA – Sociedade Vinícola de Palmela, S.A.

 

VINHA DO TORRÃO 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Casa Ermelinda Freitas Vinhos, Lda.
QUINTA DA INVEJOSA RESERVA VINHAS VELHAS 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Filipe Jorge Palhoça – CCH
VENÂNCIO DA COSTA LIMA RESERVA 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Venâncio da Costa Lima, Sucrs. Lda.
QUINTA BREJINHO DA COSTA SELECTION COLHEITA SELECCIONADA EDIÇÃO LIMITADA 2012
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
RESIGON – Companhia Agrícola e Gestão, S.A.
AMEIAS SYRAH 2016
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
SIVIPA – Sociedade Vinícola de Palmela, S.A.
SERRA MÃE RESERVA 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
SIVIPA – Sociedade Vinícola de Palmela, S.A.
QUINTA DA INVEJOSA 2016
Vinho Branco | D.O. Palmela
Filipe Jorge Palhoça – CCH
CASA ERMELINDA FREITAS ALICANTE BOUSCHET RESERVA 2015
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Casa Ermelinda Freitas – Vinhos, Lda.
QUINTA DA MIMOSA 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Casa Ermelinda Freitas – Vinhos, Lda.
ADEGA DE PEGÕES TOURIGA NACIONAL 2015
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
QUINTA DO MONTE ALEGRE RESERVA 2015
Vinho Tinto, Regional Península de Setúbal
Fernando Santana Pereira Unipessoal, Lda.
HERDADE DA BARROSINHA RESERVA 2015
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Companhia Agrícola da Barrosinha, S.A.
VALE DA JUDIA 2017
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
CAMOLAS GRANDE ESCOLHA VINHA VELHA CASTELÃO 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Camolas & Matos, Lda.
CASTELO DE AREZ COLHEITA SELECIONADA 2017
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Sociedade Agrícola da Arcebispa, S.A.
QUINTA DO MONTE ALEGRE ALICANTE BOUSCHET 2014
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Fernando Santana Pereira Unipessoal, Lda.
QUINTA DE CAMARATE 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
José Maria da Fonseca Vinhos, S.A.
PALMELÃO 2017
Vinho Branco | D.O. Palmela
Adega Cooperativa de Palmela, CRL
QUINTA BREJINHO DA COSTA RESERVA 2015
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
RESIGON –Companhia Agrícola e Gestão S.A.
SERRA BRAVA COLHEITA SELECCIONADA ALICANTE BOUSCHET & SYRAH 2016
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Herdade Canal Caveira, Lda.
QUINTA DA BACALHÔA CABERNET SAUVIGNON 2015
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
VALE DOS BARRIS CASTELÃO 2016
Vinho Tinto |Regional Península de Setúbal
Adega Cooperativa de Palmela, CRL
ADEGA DE PEGÕES SYRAH 2015
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
QUINTA DA AREIA SAFADA CHARDONNAY & VIOSINHO 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
Amalur Enoturismo, S.A.
QUINTA DO MONTE ALEGRE COLHEITA SELECCIONADA 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Fernando Santana Pereira Unipessoal, Lda.
CASA DA ERMELINDA FREITAS SYRAH RESERVA 2016
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Casa Ermelinda Freitas – Vinhos, Lda.
QUINTA DO MONTE ALEGRE 2015
Vinho Tinto | D.O. Palmela
Fernando Santana Pereira Unipessoal, Lda.
ADEGA DE PEGÕES COLHEITA SELECCIONADA 2014
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Cooperativa Agrícola de Santo Isidro de Pegões, CRL
PALÁCIO DA BACALHÔA 2014
Vinho Tinto | Regional Península de Setúbal
Bacalhôa – Vinhos de Portugal, S.A.
QUINTA DE ALCUBE RESERVA 2016
Vinho Branco | Regional Península de Setúbal
João Manuel Gomes Serra
HENRIQUE SOARES, presidente da CVRPS, diz que em 2017 todas as empresas cresceram
HENRIQUE SOARES. Presidente da Comissão Vitivinícola sublinha que o preço é agora o desafio mais relevante para os vinhos da região

40 milhões de garrafas de vinho da região no mercado em 2017

Crescimento nos mercados nacional e internacional foi transversal a todas as empresas. Desafio que se coloca agora é “valorizar melhor os vinhos da região” a nível de preço. Região já cresce acima de 10% desde o início do ano

Em 2017, as empresas vitivinícolas da Península de Setúbal colocaram no mercado 40 milhões de garrafas de vinhos com as denominações DO Palmela, Moscatel de Setúbal e com a indicação geográfica Vinho Regional da Península de Setúbal, num claro sinal de crescimento do sector na região, que já certifica mais de 70% dos vinhos que produz e está neste momento a crescer acima de 10%.

O anúncio foi feito por Henrique Soares, presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS), na cerimónia de entrega de prémios do XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal, que decorreu na Estufa Fria, em Lisboa.

O “notável crescimento” de 18% registado o ano passado “foi conseguido de forma bastante mais sustentada” que em anos anteriores, notou o presidente da instituição, reforçando que “todas as empresas da região cresceram”, tanto com base no mercado nacional como nos principais destinos de exportação da região.

“Registámos em 2017 um aumento de 5,7 em volume e 8,4% em valor e o preço do litro cresceu 10 cêntimos, chegando ao patamar dos 3,40 euros. A quota da Península de Setúbal foi assim de 5,8% em volume e 6,4% em valor relativamente às vendas totais de vinho em Portugal. Quando falamos de quota de vinhos certificados, estes valores mais do que duplicam”, afirmou.

Henrique Soares acrescentou que “é na moderna distribuição que a Península de Setúbal sustenta o seu grande crescimento em 2017” – 6,5% em volume e 12,5% em valor, realizando uma subida de 15 cêntimos no preço médio” (2,86 euros em 2017) – e que o desafio dos próximos anos será “valorizar melhor os vinhos da região”, ou seja, “subir preços”.

É necessário agora “aumentar o preço médio de venda”, pois “não interessa vender mais, interessa vender melhor”, afirmou, na mesma linha de opinião, Frederico Falcão, presidente do Instituto da Vinha e do Vinho, que reconhece oficialmente o Concurso de Vinhos da Península de Setúbal. Aumentar o valor da região passa também por certificar os vinhos produzidos de forma a “prender o valor ao território”.

Restauração e turismo sobem consumo

Na cerimónia foram atribuídos diplomas de mérito aos restaurantes A Galeria, na Cova da Piedade (Almada) por ter a melhor carta e serviço de vinhos da Península de Setúbal, no âmbito do concurso Sabores de Almada 2017; e Sushi Barreiro, vencedor em terceiro lugar do 19º Concurso de Gastronomia Ribeirinha do Barreiro.

O guia “À Mesa com os Vinhos da Península de Setúbal by Boa Cama Boa Mesa” também destacou os restaurantes A Escola (Alcácer do Sal), 490 Taberna STB (Setúbal), O Velho e o Mar (Sesimbra), Ostradomus (Setúbal), Belcanto (de José Avillez, Lisboa), Casa da Dízima (Paço de Arcos) e Sem Dúvida (Lisboa) por terem cartas de vinhos representativas da diversidade e qualidade da produção da região.

“A restauração continua a ser um veículo importante na distribuição dos vinhos da região”, notou Henrique Soares, e também o crescimento do turismo estrangeiro tem tido um impacto positivo nos níveis de consumo de vinho em Portugal, que o ano passado atingiram os 51 litros de vinho por habitante, o nível “mais alto do mundo”, lembrou o presidente da CVRPS.

 

 Banco trabalha de perto com muitos clientes do sector vitivinícola

LUÍS MARQUES. Administrador da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Entre Tejo e Sado

Caixa de Crédito Agrícola é parceira da CVRPS há 10 anos

A Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Entre Tejo e Sado é o patrocinador principal do Concurso de Vinhos da Península de Setúbal e parceiro estratégico da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS) há dez anos, período em que tem trabalhado para ajudar a “desenvolver a região”.

“É esta a filosofia de cada Caixa de Crédito Agrícola”, afirmou Luís Marques, administrador da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Entre Tejo e Sado. Neste caso, a parceria com a CVRPS é “estratégica e importante para a região” porque se trata de um banco regional que financia os clientes da região, muitos deles ligados ao sector vitivinícola.

O Crédito Agrícola foi fundado há cem anos e hoje é um banco universal, com capital exclusivamente português e com “a maior rede de balcões em Portugal” (cerca de 680). Na região entre o Tejo e Sado tem 13 balcões de funcionamento que abrangem oito concelhos (Almada, Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal e Vendas Novas).

A Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Entre Tejo e Sado, como se conhece hoje, resulta de um processo de fusões que decorreram entre os anos de 1996 e 1999 e que abrangeu todas as caixas já existentes na região, em Alcochete, Montijo, Palmela, Seixal e Vendas Novas. O banco fechou o ano de 2017 “com um dos melhores resultados de todos os tempos”.

 

Leonor Freitas satisfeita com “boa representação” da empresa no concurso

Casa Ermelinda Freitas fecha pódio com duas medalhas de ouro

LEONOR E JOANA FREITAS. Casa Ermelinda Freitas continua a ser das mais medalhadas numa região vitivinícola cada vez mais exigente. Reconhecimento da “boa enologia”

A Casa Ermelinda Freitas encerrou o pódio do XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal em terceiro lugar, com sete medalhas no total. As duas de ouro foram atribuídas aos vinhos Casa Ermelinda Freitas Sauvignon Blanc & Verdelho 2016 e Dona Ermelinda Reserva 2015.

“Estamos satisfeitos, temos uma boa representação”, começou por comentar Leonor Freitas, destacando o Casa Ermelinda Freitas Moscatel de Setúbal Superior 2007 DO Moscatel de Setúbal galardoado com uma medalha de prata.

No conjunto das cinco medalhas de prata foram distinguidos também os vinhos Casa Ermelinda Freitas Alicante Boushet Reserva 2015, Casa Ermelinda Freitas Syrah Reserva 2016, Quinta da Mimosa 2015 e Vinha do Torrão 2016.

A premiação do concurso da CVRPS, a que se somam várias dezenas de prémios já obtidos a nível nacional e internacional tem reconhecido, com efeito, a “boa enologia” praticada na adega, as “boas uvas” e o trabalho vínico. A exigência face aos vinhos da Península de Setúbal é cada vez maior, notou Leonor Freitas, pelo que a aposta é também em ter “os melhores vinhos ao melhor preço”.

A empresária acredita que “a Península de Setúbal é uma região que se afirma de ano para ano, já dá muito que falar e ainda vai dar muito que falar”, graças ao trabalho desenvolvido por todos os produtores e entidades do sector vitivinícola, que está “de parabéns”.

 

Vinhas de Pegões Syrah 2017 consagrado no grupo dos cinco melhores vinhos do concurso

JAIME QUENDERA. Enólogo “muito orgulhoso” dos prémios conquistados pela Adega Cooperativa de Pegões

Adega de Pegões em segundo lugar com Melhor Vinho Tinto

A Adega de Pegões, que na edição de 2017 ficou em segundo lugar com 10 medalhas, ganhou este ano nove medalhas e manteve a sua posição no Top3 das empresas mais premiadas.

A atribuição da medalha de Melhor Vinho Tinto ao Vinhas de Pegões Syrah 2017 deixou Jaime Quendera “muito orgulhoso”. “Todos os vinhos premiados são importantes, mas estou muito orgulhoso da medalha do Melhor Vinho Tinto. É o prémio mais prestigiante para mim”, disse ao DIÁRIO DA REGIÃO após a atribuição dos prémios.

Lembrando que já o ano passado a Adega de Pegões havia ganho a medalha de Melhor Vinho Tinto do concurso – com o vinho Adega de Pegões Syrah Reserva 2013 –, o enólogo e gerente da cooperativa confessou que “é sempre bom estar no top e ganhar prémios”, sendo o concurso da CVRPS um reconhecimento do trabalho desenvolvido.

Além da medalha de Melhor Vinto Tinto a Cooperativa Agrícola Santo Isidro de Pegões venceu três medalhas de ouro (com os vinhos Adega de Pegões Grande Reserva 2013, Adega de Pegões Contemporal Selection 2012 e Adega de Pegões Cabernet Sauvignon 2015) e outras cinco medalhas de prata (com os vinhos Encostas da Arrábida 2015, Adega de Pegões Touriga Nacional 2015, Vale da Judia 2017, Adega de Pegões Syrah 2015 e Adega de Pegões Colheita Seleccionada 2014).

Este ano tem estado “a correr bem” para a Adega de Pegões, com bom desempenho de vendas nos mercados interno e externo e um somatório de prémios nacionais e internacionais que se cifra já em mais de 60 prémios ganhos até agora. A empresa ganhou o prémio de melhor vinho de Portugal na Ásia em Janeiro, além de outros em França, Inglaterra e outros países.

 

Venâncio da Costa Lima Reserva 2015 foi o vinho premiado

VENÂNCIO DA COSTA LIMA. Vinho Tinto Reserva 2015 ganhou Medalha de Prata

Venâncio da Costa Lima vence medalha com “excelente castelão”

A Venâncio da Costa Lima trouxe do XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal uma medalha de prata com o vinho Venâncio da Costa Lima Reserva 2015, “um excelente castelão que representa bem a Península de Setúbal”, nas palavras de Joana Vida.

“Nós participámos desta vez com vários vinhos tintos e moscatéis de Setúbal e obtivemos uma medalha de prata com o nosso tinto reserva 2015. É uma prova de que é um excelente castelão que representa bem a Península de Setúbal”, afirmou.

Joana Vida disse ainda que “há um reconhecimento da Venâncio da Costa Lima, que é também ajudada pelos prémios que obtém em concursos nacionais e internacionais e pela valorização dos vinhos da Península em si”.

Além disso, “a exigência em relação aos vinhos da região está cada vez mais maior e reflecte-se no número de participações [no concurso]. Há mais produtores a acreditar que têm os melhores vinhos e desses sobressaem ainda os melhores”.

 

Moscatel Roxo de Setúbal Superior 10 anos já tinha ganho Melhor Vinho em 2015

FILIPE CARDOSO. Reconhecimento da qualidade reforçado com mais medalhas de prata do que o ano passado

SIVIPA garante quatro novas medalhas de prata

A SIVIPA – Sociedade Vinícola de Palmela, que na edição do ano passado tinha gando apenas uma medalha, ganhou este ano quatro medalhas de prata com os vinhos Terras da Moura 2016, Ameias Syrah 2016 e Serra Mãe Reserva 2015 e o moscatel SIVIPA Moscatel Roxo de Setúbal Superior 10 anos.

O Moscatel Roxo de Setúbal Superior 10 anos tem especial destaque entre os premiados porque já tinha ganho, na edição de 2015, o prémio de Melhor Vinho do concurso. “É sinal de que conseguimos afinar o vinho de forma consistente para ser sempre bom todos os anos”, considerou Filipe Cardoso.

O resultado obtido no XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal deixou o administrador da SIVIPA “satisfeito”, por ser sinal de “reconhecimento do trabalho” levado a cabo nos últimos anos. “Saio satisfeito com quatro medalhas na carteira e com dever cumprido da promoção dos vinhos da região em Lisboa”, rematou.

 

Quatro medalhas incentivam mais e melhor produção

ANDRÉ SANTANA PEREIRA. Adega promete continuar a investir na qualidade do vinho que produz

Vinhos Quinta do Monte Alegre conquistam medalhas de prata

Os vinhos Quinta do Monte Alegre, da empresa Fernando Santana Pereira Unipessoal, conquistaram no XVIII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal quatro medalhas de prata, um aumento do número de prémios face à prestação da marca na edição do ano passado.

Entre os vinhos premiados André Santana Pereira destacou o Quinta do Monte Alegre Reserva 2015, “um vinho de um ano a cima da média, com qualidade muito alta, feito a partir das melhores uvas de três castas – castelão, cabernet e touriga nacional – e que reflecte o projecto Quinta do Monte Alegre, que é apostar na qualidade mais do que na quantidade”.

Os restantes premiados foram o Quinta do Monte Alegre Alicante Boushet 2014, Quinta do Monte Alegre Colheita Seleccionada 2015 e Quinta do Monte Alegre 2015. “Os quatro prémios representam o reconhecimento do trabalho e do esforço que fizemos ao longo dos últimos anos. É um catalisador para nós continuarmos a produzir e a investir na qualidade dos nossos produtos”, afirmou o responsável de enologia da Xavier Santana.

 

Quinta da Invejosa 2015 um dos dois únicos vinhos D.O. Palmela premiados com ouro

NUNO PALHOÇA. Medalha de Ouro conquistada foi uma das únicas duas para produtores do concelho de Palmela

Filipe Palhoça Vinhos conquista medalhas de ouro e prata

A Filipe Palhoça Vinhos, empresa familiar sediada na Quinta da Invejosa, Poceirão, arrecadou no concurso de vinhos da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal um total de três medalhas (uma de ouro e três de prata).

O vinho Quinta da Invejosa 2015 foi assim um dos dois únicos vinhos D.O. Palmela premiados com ouro em todo o curso, a par do vinho Dona Ermelinda Reserva 2015 da Casa Ermelinda Freitas. Medalhados com prata foram os vinhos Quinta da Invejosa 2016 e Quinta da Invejosa Reserva Vinhas Velhas 2015.

O número superior de medalhas alcançado este ano representou com efeito um “balanço muito bom” para a Filipe Palhoça Vinhos. “Acaba por ser o reconhecimento do nosso trabalho e da qualidade dos nossos vinhos. Tentamos melhorar a qualidade de ano para ano”, afirmou o produtor Nuno Palhoça.

A Filipe Palhoça Vinhos é uma empresa familiar sedeada na Quinta da Invejosa, no Poceirão, e dedicada há mais de 50 anos à viticultura e produção de vinhos na planície de areias de Palmela, entre Poceirão e Marateca. A quinta tem 90 hectares de vinha divididos em oito propriedades cuidadosamente cultivadas.

 

Empresa ganhou mais uma medalha do que na edição anterior do concurso

JOSÉ COUTINHO. Direcção da Adega de Palmela viu investimento compensado com duas medalhas de pratas

Adega Cooperativa de Palmela estreia Palmelão branco a ganhar

A Adega Cooperativa de Palmela conquistou este ano duas medalhas de prata no Concurso de Vinhos da Península de Setúbal, com os vinhos Palmelão 2017 e Vale dos Barris Castelão 2016.

O Palmelão Branco “nunca tinha vindo a concurso e ganhou medalha de prata”, pelo que o balanço “é positivo para a Adega de Palma”, considerou José Coutinho, presidente do Conselho de Administração da empresa.

O número de medalhas conseguidas este ano é superior ao do ano passado, quando estava em processo uma mudança de rotulagem das garrafas, razão pela qual candidataram menos vinhos ao concurso.

A renovação da imagem e a aposta no marketing têm sido, de resto, alguns dos aspectos em que a Adega Cooperativa de Palmela tem investido nos últimos anos. “Investimos cerca de 500 mil euros em 2017, no interior das adegas, armazenamento, linhas de enchimento, imagem e marketing e preparamo-nos para investir outros 500 mil euros este ano”, revelou José Coutinho.

- Pub -

Queremos a sua opinião!