As Contas da Câmara Municipal de Montijo – Ano de 2017 – Tempo e paciência

65
visualizações

Em 11/04/2018 foram aprovados, com a abstenção da CDU e voto contra do PSD, os documentos de prestação de contas referentes ao ano de 2017 na sessão pública da CMM, a qual teve início às 15 horas. Salientamos que, dada a hora em que a sessão decorreu corresponder ao período normal de trabalho a que todos os trabalhadores estão sujeitos, também não me foi possível estar presente, pelo que se torna importante revelar a nossa pública opinião sobre as variáveis em causa e a responsabilidade que todos nós, enquanto munícipes e votantes, temos no destino da nossa Autarquia, pois, como muito bem sabemos, é a gestão rigorosa e criteriosa dos recursos financeiros públicos que possibilitam que todos nós possamos viver melhor, sem excepção.
Apresentam-se, para o quadriénio 2014-2017, valores expressos em Euro (€).
A CMM teve os seguintes lucros e libertou meios financeiros:

- Pub -

Quanto aos meios financeiros, em caixa e bancos, apresentava em 31/Dezembro:


Vejamos agora, quanto é que os munícipes e empresas com sede no nosso município contribuíram para a CMM, através do pagamento dos impostos e taxas municipais:

Como se pode constatar, todos nós contribuímos, e bem, para que a nossa terra se desenvolva e cresça de uma forma ambientalmente sustentada, coesa do ponto de vista social e territorial, com transparência e em proximidade da autarquia com as pessoas, em que a cidadania e a participação dos munícipes na vida pública seja facilitada e viável. Foi-nos prometido por este executivo tudo isto e muito mais: o novo acesso à ponte Vasco da Gama, a construção da ciclovia para o cais do Seixalinho, a ciclovia do ramal do caminho de ferro (Montijo-Jardia), a ciclovia para a Atalaia, a construção de passadiços pedonais públicos na orla ribeirinha do Montijo, o melhoramento da limpeza dos espaços públicos, a construção da variante de acesso à fábrica de “pelletes” em Pegões, a conclusão das obras de beneficiação da EN4 (obra que o Governo está a realizar, não é uma obra da CMM), continuar a infra-estruturação dos bairros de génese ilegal, asfaltamento dos caminhos rurais em Canha, Sarilhos Grandes e em Pegões, dinamizar o conselho estratégico de desenvolvimento económico, a colaboração entre o município e as universidades, promover a instalação de empresas 4.0 com elevado potencial tecnológico, promover a revitalização do comércio tradicional, enfim, tantas e boas medidas e terá sido por estes motivos, imbuídos dos sucessos do 1º Ministro António Costa que demos maioria absoluta ao PS local.
Pela nossa parte, uma medida a tomar de imediato, até porque não envolve gastos de dinheiro, será a passagem das reuniões públicas do executivo para uma hora que todos possam assistir, cumprindo desta forma a promessa feita na campanha eleitoral relativa ao “Eixo 1-Governo aberto e em proximidade com as pessoas”, basta mudar o horário das sessões públicas para as 19h e, já agora, cumprir com a Recomendação da Assembleia Municipal para que as sessões sejam transmitidas em tempo real.
É certo que ainda é cedo para se exigir o que nos foi prometido, pois sabemos que as obras têm o seu tempo de execução, de qualquer forma não podemos esquecer que no anterior mandato a maior parte do prometido não foi cumprido. Mas que fique muito claro da nossa parte, que nós cidadãos e as empresas estão a cumprir com a sua obrigação de pagamento dos impostos e taxas locais, exigindo do executivo o prometido, a sua contraprestação.
É que falta de dinheiro não há, é só por mãos à obra.
Aguardemos com serenidade, pois os mais fortes de todos os guerreiros são o tempo e a paciência.

Comentários

- Pub -