Director da PJ Setúbal confirma que foi mãe quem deu facadas na bebé

0
360
visualizações

Irmãs devem ser acusadas de homicídio qualificado. Vítor Paiva revela que irmã também teve “conduta relevantes” em termos criminais

A Polícia Judiciária (PJ) de Setúbal, que deteve ontem a mulher suspeita de ter esfaqueado mortalmente a filha recém-nascida na noite de segunda-feira em Santa Marta do Pinhal, no Seixal, bem como a tia da bebé, confirma que as facadas na criança foram desferidas pela mãe.

- Pub -

 

Rafaela Cupertino, de 25 anos, mãe da bebé, estava hospitalizada no Hospital Garcia de Orta (Almada, também no distrito de Setúbal) desde segunda-feira e teve  alta hospitalar esta quarta-feira (11), tendo ficado logo detida.

Num comunicado divulgado esta tarde, a Polícia Judiciária de Setúbal confirma a detenção das duas irmãs gémeas e adianta que sobre elas recaem “fortes indícios da prática do crime de homicídio qualificado”.

A Polícia Judiciária refere ainda que os factos tiveram lugar cerca das 21:30 de segunda-feira na residência das duas mulheres detidas, quando, “na sequência do parto de uma menina, a progenitora, com a colaboração da irmã gémea, golpeou a recém-nascida com uma arma branca, provocando-lhe morte imediata”.

Contactado pela agência Lusa, o diretor da Polícia Judiciária de Setúbal, Vítor Paiva, disse que os elementos recolhidos nas diligências já efetuadas permitiram concluir que as facadas que vitimaram a criança recém-nascida foram desferidas pela mãe.

Vítor Paiva acrescentou que da parte da irmã gémea da mãe da bebé, que acompanhou o parto desde o início, também houve “condutas relevantes em termos criminais”.

Essas condutas justificaram a sua detenção, mas o diretor escusou-se a adiantar mais pormenores.

Questionado sobre as motivações da presumível autora do crime, Vítor Paiva disse que há várias hipóteses a ser trabalhadas pela investigação, mas considerou que, face ao trabalho desenvolvido pela Polícia Judiciária nas últimas 48 horas, muito em breve poderá ser apresentado o relatório final sobre este caso.

As duas mulheres deverão ser ainda hoje presentes a primeiro interrogatório judicial, no tribunal de Almada, para aplicação de eventuais medidas de coação.

O crime ocorreu num prédio da avenida Vieira da Silva.

O alerta foi dado pouco depois da meia-noite, mas, de acordo com o Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal, quando os Bombeiros Voluntários da Amora chegaram ao local a criança já não apresentava sinais de vida, tendo o óbito sido confirmado no local por uma equipa de emergência médica.

Lusa

- Pub -

Queremos a sua opinião!