Concentração vai exigir mais profissionais no Hospital do Litoral Alentejano

0
55
visualizações

A Comissão de Utentes do Litoral Alentejano e o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) vão concentrar-se na próxima sexta-feira, 6 de abril, junto ao Hospital do Litoral Alentejano, em Santiago do Cacém, para denunciar “a grave situação da falta de profissionais” na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA).

- Pub -

Enfermeiros, utentes e médicos “estão exaustos”, diz o coordenador das Comissões de Utentes perante o grande número de profissionais de saúde em falta na ULSLA.

Estão a faltar cerca de cem enfermeiros e além de médicos de família, há falta de profissionais nas especialidades de pediatria, urologia, otorrinolaringologia, ginecologia e cardiologia, que provocam atrasos nas consultas e há cirurgias canceladas devido à falta de enfermeiros”, refere Dinis Silva.

Em comunicado, a Comissão de Utentes recorda que o resultado da não contratação de pessoal “poderá fazer com que se fechem camas em vários serviços, levando a que menos utentes sejam operados” ou, em alternativa, “para não fecharem camas” se “reduza o numero de enfermeiros por turno, o que coloca em risco, a segurança dos utentes”.

O representante dos utentes, reconhece que “é uma situação que esperávamos que fosse temporária” devido ao anuncio da contratação de novos profissionais de saúde. “Aqui no litoral alentejano isso não está a acontecer e no caso dos enfermeiros quando terminam os contratos de substituição, não são renovados e infelizmente os enfermeiros têm de procurar outras paragens quando fazem bastante falta nesta região”, lamenta o dirigente que estende a sua preocupação aos assistentes operacionais, médicos de várias especialidades e técnicos de diagnóstico e terapêutica. “Já colocamos esta questão diretamente ao ministro da saúde mas é uma situação que se arrasta”, acrescentou.

Helena Neves, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses apela à denuncia dos profissionais. Queria apelar também para que os colegas fizessem denuncia no site da DGS, à Ordem dos Enfermeiros e ao Sindicato dos Enfermeiros Portugueses de tudo o que ponha em risco a segurança do utente”.

“Os colegas estão exaustos e o Ministro da Saúde tem de olhar para o Hospital do Litoral Alentejano e para os Centros de Saúde da região”, alertou a dirigente local do SEP. Todas as semanas têm caído mapas operatórios devido à carência de enfermeiros”, adiantou.

Perante o atual cenário, utentes e enfermeiros vão exigir do Governo medidas no sentido de colmatar as necessidades resultantes da falta de profissionais. “Vamos exigir ao Governo e ao Ministério da Saúde a contratação de um número suficiente de profissionais de saúde para que o Hospital do Litoral Alentejano e os Centros de Saúde funcionem de forma regular”, concluiu.

A concentração está marcada para a próxima sexta-feira, dia 6 de abril, a partir das 17h30 em frente ao Hospital do Litoral Alentejano.

- Pub -

Queremos saber a sua opinião.