‘Poker’ de Edinho vale reviravolta épica do Vitória com o Aves

0
64
visualizações

À 28.ª jornada da I Liga, o Vitória FC quebrou o enguiço e conquistou o primeiro êxito fora de portas à custa do Desportivo das Aves, que foi derrotado por categóricos 1-4. Com o ‘poker’ apontado pelo avançado Edinho em apenas 27 minutos, os sadinos conseguiram operar a reviravolta num jogo que perdiam ao intervalo, por 1-0.

- Pub -

Com o desfecho de ontem, o Vitória, numa altura em que ficam agora por disputar seis jornadas, conseguiu ganhar novo fôlego na luta pela permanência. Com 28 pontos (média de um por jornada), os comandados de José Couceiro defrontam no próximo sábado, no Estádio do Bonfim, o tetra campeão Benfica.

Prejudicada pelo forte temporal que fez adiar em uma hora o seu início, a partida teve a primeira parte possível, acabando a equipa da casa por adiantar-se no marcador no minuto 44, por Fariña, a culminar um bom lance individual de Braga.

Após o intervalo, o experiente avançado internacional português, de 35 anos, deu a volta ao marcador, ao apontar quatro golos, aos 58, 70, 77 e 85 minutos, o último de grande penalidade. Com nove golos apontados na edição 2017/18 do campeonato, Edinho é agora o melhor marcador dos sadinos na I Liga.

De início, as equipas jogaram o possível, num relvado que se mostrou resistente à intempérie, mas em que os jogadores tardavam em consumar a vontade de chegar ao golo, ameaçando atingir-se o intervalo cingidos a um remate de Nildo Petrolina (09) ao lado, e outro de Patrick (26), que obrigou Fachini a desvio decisivo.

Sem sofrer golos em casa desde que José Mota assumiu o comando técnico da equipa, o Aves saiu a sorrir para o intervalo, com o tento de Fariña, em contraste com o ‘onze’ de José Couceiro, que parecia mais longe do primeiro triunfo fora.

A tendência de a competitividade de sobrepor à qualidade prosseguiu nos primeiros minutos da segunda parte, com Nildo a acorrer a um cruzamento rasteiro da direita de Rodrigo Soares (57 minutos), mas a chegar tarde para a emenda.

Na resposta, Costinha aproveitou um escorregão de Jorge Felipe, entrou na área pela direita e atirou cruzado ao poste direito, surgindo Edinho ao segundo poste a empurrar a bola para o empate (58 minutos).

Decidido a ficar na história do jogo, o internacional português da equipa sadina ‘bisou’ quando, ao minuto 70, acorreu a um livre de Nuno Pinto na área avense para, ao segundo poste e de cabeça, completar a reviravolta no marcador.

Os mesmos protagonistas fizeram nascer o terceiro golo sadino, com Nuno Pinto, da esquerda, a lançar na área Edinho (77 minutos) para uma finalização de pé esquerdo e um ‘hat-trick’ em apenas 19 minutos.

A noite teimava em ser de Edinho, que aproveitou uma falta na grande área sobre Costinha [excelente exibição do médio que esteve envolvido nos lances que deram origem a todos os golos] para fazer de grande penalidade, aos 85 minutos, o primeiro ‘poker’ da sua carreira.

- Pub -

Queremos saber a sua opinião.