Sócios do Centro Social de Palmela mobilizam-se para vencer situação financeira grave

0
95
visualizações

Na última assembleia, que teve mais participação, oito associados disponibilizaram-se para entrar para os corpos sociais e nove vão formar grupos de trabalho de ajuda. Além de angariar fundos, querem melhorar imagem da IPSS

- Pub -

 

A última reunião da assembleia geral do Centro Social de Palmela (CSP) foi a mais participada dos últimos anos, com muitos dos associados presentes a disponibilizarem-se para ajudar a instituição a ultrapassar a grave crise financeira que atravessa.

A assembleia geral extraordinária de terça-feira foi convocada precisamente para debater os problemas actuais da associação, nomeadamente a situação financeira e de tesouraria e para colmatar a saída de membros dos órgãos sociais.

Segundo o presidente da direcção, Guilherme Bettencourt, estiveram presentes 31 associados, o que “foi motivo de alegria para os actuais órgãos sociais, tamanha participação”.

Os dirigentes apresentaram “um resumo da conta corrente mensal” do centro e, após a discussão deste ponto, quando se entrou na questão da falta de membros nos órgão sociais, boa parte dos associados presentes disponibilizaram-se para participar nas actividades da instituição.

Oito associados manifestaram a sua disponibilidade para integrar os actuais órgãos sociais do CSP até ao fim do mandato reforçando assim a capacidade de trabalho da equipa em funções”, disse Guilherme Bettecourt ao DIÁRIO DA REGIÃO.

A entrada dos novos membros vai ser formalizada em assembleia geral extraordinária já marcada, para o próximo dia 3 de Abril, em que será feita a eleição dos novos candidatos a integrarem os órgão sociais e definidas equipas para os grupos de trabalho que vão tentar ajudar a IPSS a vencer a crise.

Os lugares vagos nos órgãos sociais, por demissão dos inicialmente eleitos – segundo o presidente, algumas demissões estão relacionadas com “as dificuldades” – são dois na direcção (num total de cinco), sendo que os 12 suplentes não querem passara a efectivos, dois na mesa da assembleia geral 8num total de três), e um no conselho fiscal (num total de três). Com estas faltam não chegou a estar em causa a falta de quórum nos órgãos, uma vez que a assembleia geral pode funcionar apenas com um dos membros.

Além dos oito que vão integrar os órgãos, houve nove associados que se ofereceram para particiar em grupos de trabalho que vão ser criados para auxiliar a recuperação da associação.

De acordo com o presidente, estes grupos vão apoiar a direcção em tarefas especificas como a angariação de fundos, divulgação e imagem do CSP na comunidade ou na manutenção das instalações.

Na reunião da assembleia geral foi abordada também a questão do recente problema nas instalações na vila de Palmela que, na semana passada, com a tempestade, meteram água e obrigaram ao encerramento de três salas do pré-escolar.

- Pub -

Queremos a sua opinião!