CHBM alia-se a outros hospitais na procura de melhorias

0
67
visualizações

O Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM) voltou a promover um Grupo de Benchmarking em Aprovisionamento, uma técnica que consiste no processo de busca de melhores práticas, com outros hospitais do Serviço Nacional de Saúde.

- Pub -

“Todos os meses um Grupo de Benchmarking em Aprovisionamento, composto actualmente por dez hospitais, reúne-se com o objectivo de identificar boas práticas, analisar matérias de elevada complexidade, estudar o impacto da entrada em vigor de normas e procedimentos legais relacionados com a aquisição de bens e serviços, permitindo ainda a reflexão sobre matérias de índole organizacional e operacional, próprias da função logística das unidades hospitalares”, explica, em comunicado, o CHBM.

Na origem deste projecto esteve o trabalho desenvolvido, desde 2014, com os outros hospitais da Península de Setúbal (Centro Hospitalar de Setúbal e Hospital Garcia de Orta) e a contratação conjunta de alguns bens e serviços que permitiu obter economias de escala com impacto financeiro relevante para todas as instituições.

Considerando as “mais-valias já alcançadas com este trabalho conjunto”, o Serviço de Aprovisionamento do CHBM impulsionou o alargamento deste grupo de trabalho, tendo a instituição convidado outras unidades hospitalares do Serviço Nacional de Saúde (SNS) para integrarem o “Grupo de Benchmarking em Aprovisionamento”.

Actualmente, segundo o mesmo comunicado, este grupo conta já com 10 entidades hospitalares: Centro Hospitalar Barreiro Montijo, Hospital Garcia de Orta, Centro Hospitalar de Setúbal, Unidade de Saúde Local do Norte Alentejano, Unidade de Saúde Local do Baixo Alentejo, Hospital Distrital de Santarém, Hospital Prof. Doutor Fernando da Fonseca, Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, IPO de Lisboa e Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto.

“O Grupo de Benchmarking em Aprovisionamento é um projecto inovador que promove a melhoria contínua das organizações e a aprendizagem conjunta dos profissionais, em prol da satisfação eficaz das necessidades de bens e serviços essenciais à missão das unidades hospitalares envolvidas, contribuindo ainda para a eficiência e sustentabilidade destas Instituições”, conclui o comunicado enviado ao DIÁRIO DA REGIÃO.

- Pub -

Queremos a sua opinião!