Santa Casa da Misericórdia de Palmela comemora 489.º aniversário

0
100
visualizações

Almoço de comemoração decorreu nas instalações do lar de S. Pedro este sábado, 10, em Palmela e juntou dezenas de pessoas, entre provedores das misericórdias do país, membros dos órgãos sociais e funcionários da instituição. Na sessão solene foi inaugurada uma nova viatura e apresentadas três peças de arte sacra recuperadas

 

- Pub -

A Santa Casa da Misericórdia de Palmela (SCMP) completou 489 anos no passado sábado, 5. Para comemorar a efeméride realizou-se um almoço de convívio este sábado, 10, nas instalações do Lar de S. Pedro, em Palmela.

O evento solene contou com a presença de Francisco Cardoso, provedor da SCMP, Alberto Rosário, presidente da Assembleia Geral da SCMP, Natividade Coelho, directora do Centro Distrital da Segurança Social, Álvaro Amaro, presidente da Câmara de Palmela, Jorge Mares, presidente da Junta de Freguesia de Palmela, D. José Ornelas Carvalho, bispo de Setúbal e o Pe. José Joaquim, da paróquia de Palmela.

Na cerimónia, Francisco Cardoso, provedor da SCMP afirmou que “o objectivo da instituição é estar disponível e dar apoio à comunidade em que se encontra inserida”.

Alberto Rosário, presidente da Assembleia Geral da SCMP confidenciou que “hoje todos os órgãos de comunicação social referem orçamentos, juros e moedas. Mas a sociedade não pode ser construída dessa forma, tem de ser construída sobre valores e princípios que temos o dever de transmitir, é isso que fazemos nas misericórdias de todo o país, transmitir valores de fraternidade, solidariedade e respeito pelo próximo”.

Já Natividade Coelho, directora do Centro Distrital da Segurança Social explicou que “a presença da Segurança Social significa a vontade e o dever que o Estado tem naquilo que é o seu processo de cooperação, dizer presente nos aniversários, mas não só, naquilo que é a missão das instituições sejam elas misericórdias, mutualidades ou IPSS. E acrescentou que “a sociedade precisa de instituições fortes para cumprirem o seu desiderato, sendo que a construção das mesmas se faz dentro das instituições, mas também com o apoio nacional e local, de voluntárias e voluntários e da sociedade civil e a convergência tem de ser a palavra de ordem”.

José Ornelas, bispo de Setúbal dirigiu as suas palavras de gratidão “às pessoas que trabalham nesta casa, que são o rosto visível, porque nos representam a todos e a sociedade deste país”.

Jorge Mares, presidente da Junta de Freguesia de Palmela salientou que “é importante celebrar uma casa, que tem uma dimensão incalculável, que fez história, que tem atravessado momentos políticos difíceis ao longo destes 400 anos e quase 500 anos depois, a Santa Casa está aqui, viva, a prestar o seu apoio e a desempenhar o papel de assistência social dos mais carenciados”.

A propósito do aniversário, Álvaro Amaro, autarca de Palmela afirmou que “são 489 anos e nestas alturas de aniversário é justo que se enalteça o percurso e que se evoque todo o património e realização, fruto da dedicação de muitas equipas, de muitos provedores, cidadãos imbuídos por um espírito humanista e fraterno que ao longo de centenas de anos tiveram como missão de vida auxiliar o próximo num espírito fraterno, irradiando os valores da solidariedade, atenuando o conjunto de injustiças e desigualdades que existem no mundo ao longo de vários momentos da História”.

Inaugurada a 5 de Março de 1529, a SCMP possui três valências: o lar S. Pedro para idosos com capacidade para 84 utentes; o Centro de Dia, em Aires, com capacidade para 20 utentes e o Centro de Medicina Física e Reabilitação com capacidade para 120 pessoas. A cantina social serve ainda refeições diárias a pessoas em situações de vida mais vulneráveis.

Antes do almoço foi inaugurada e abençoada por D. José Ornelas, bispo de Setúbal, uma nova viatura de apoio.

- Pub -

Queremos saber a sua opinião.