Complexo Desportivo Integrado nasce na Praça de Portugal [galeria de fotos]

0
897
visualizações

Nova infra-estrutura desportiva foi apresentada esta terça-feira e prevê a construção de dois pisos de estacionamento subterrâneo, cinco piscinas, sauna, SPA, salas de actividades de grupos, exercício e musculação

 

- Pub -

O contrato de concessão e exploração do futuro Complexo Desportivo Integrado de Setúbal, situado junto à rotunda da Praça de Portugal foi assinado esta terça-feira, 20, no salão nobre dos Paços do Concelho, entre o grupo Supera e a autarquia.

“Hoje damos um passo fundamental para a melhoria da oferta de instalações para uma prática desportiva ainda mais saudável no nosso concelho”, afirmou Maria das Dores Meira, presidente da Câmara de Setúbal após a assinatura do contrato.

O novo equipamento desportivo vem assim reforçar a oferta desportiva no concelho com cinco espaços aquáticos, três cobertos e aquecidos e dois no exterior, um spa, sauna, três salas de actividades de grupo e de exercício e musculação. A infra-estrutura é ainda servida de um parque de estacionamento instalado em dois pisos subterrâneos, com capacidade para 140 lugares.

O projecto final apresentado “superou as expectativas em relação ao que estava inicialmente previsto pela Câmara Municipal”, sublinhou Maria das Dores Meira, uma vez que ultrapassou o conjunto de deveres estabelecidos no caderno de encargos para a concessão da construção e exploração do Complexo Desportivo Integrado. Nele constava a obrigação de construir um estacionamento subterrâneo, uma única piscina, com o mínimo de 25 metros de comprimento por 12,5 metros de largura, sauna, um spa e salas de actividades de grupo e de exercício e musculação.

“As piscinas são uma parte importante do complexo. Por isso, decidimos criar novidades em relação ao caderno de encargos. A piscina exterior pretende contribuir, sobretudo, para o aumento da oferta de espaços aquáticos nos meses de verão”, sublinhou Pablo Vidan Estevez, director comercial e de expansão da Supera.

O preço-base da contrapartida da Supera para a Câmara de Setúbal realizar intervenções de beneficiação em equipamentos desportivos do concelho seria de 700 mil euros, valor que também foi suplantado, uma vez que a empresa espanhola gestora de três dezenas de centros integrados na Península Ibérica pagará 1 milhão e 50 euros.

Além das piscinas, o Complexo Integrado Desportivo de Setúbal, que irá criar mais de 70 postos de trabalho, terá spa, sauna, três salas de actividades de grupo e salas de exercício e musculação “com máquinas de última geração para garantir a melhor qualidade na prática desportiva para os habitantes de Setúbal”.

Quanto ao exterior do edifício, a Supera pretende “construir uma estrutura atractiva, que não seja apenas um bloco de cimento, mas, que dê continuidade à rotunda existente”, na Praça de Portugal, onde funcionava um posto de combustível.

No total, a empresa prevê investir nove milhões de euros num centro que, vincou o administrador João Paulo da Câmara, resulta numa “oferta de qualidade invulgar” para os setubalenses.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A partir deste momento, a empresa tem 90 dias para apresentar os projectos de execução nas várias especialidades. Após a aprovação dos mesmos, terá de construir o Complexo Integrado Desportivo de Setúbal no prazo máximo de 480 dias, o que significa, prevê a presidente da autarquia, que em Novembro de 2019 pode ser inaugurada “esta nova mais-valia para o concelho”.

Maria das Dores Meira sublinhou que este equipamento, ao reforçar a disponibilidade de instalações para a prática de desporto em Setúbal e “resolver a insuficiência de oferta de piscinas aquecidas no concelho”, será mais “uma importante ajuda” para, no prazo de seis a oito anos, a taxa de prática desportiva regular se fixar nos 60% a 65%.

Outro “aspecto fundamental”, considera, é o facto de dar um “importante contributo para a requalificação e modernização de uma das mais importantes entradas da cidade”.

No âmbito do caderno de encargos, durante todo o tempo da concessão, com a duração de 40 anos, deve ser facultado o acesso gratuito às piscinas a actividades promovidas pela Câmara de Setúbal com alunos das escolas de 1.º ciclo do ensino básico e com a população sénior no âmbito de projectos municipais direccionados para este grupo.

- Pub -

Queremos saber a sua opinião.