Associação REMAR está na cidade há 21 anos

0
80
visualizações

Obra social cresceu nos últimos anos, graças ao contributo das populações e dos voluntários

 

- Pub -

Há 21 anos, em Setúbal, a associação REMAR tem como missão a ajuda social. Inicialmente começou pelo acolhimento de jovens com problemas de adição, designadamente toxicodependência e alcoolismo, como explicou Aarão Fonseca, coordenador da instituição. “Há 18 anos, ainda não tínhamos loja, vivíamos de peditórios de rua e acolhíamos pessoas numa quinta, em Lagameças, onde havia agricultura e animais. O nosso objectivo era ajudá-las a deixar as drogas, encaminhando-as num modelo de vida, comportamento e moral diferente”.

Anos mais tarde abriu a loja solidária na Rua Moinho Frade, em Setúbal, que se alimenta das doações da população. “Recebemos todo o tipo de artigos que se aproveitam como utensílios de cozinha, mobiliário clássico, antiguidades e muita literatura interessante”, acrescentou.

O tipo de público, que frequenta os centros cristãos da associação REMAR vai desde pessoas interessadas em curiosidades a famílias com baixos recursos económicos, que carecem de acessórios para equipar as suas casas. “Os artigos são vendidos e com isso financiamos toda a logística. Não temos qualquer tipo de apoio financeiro, a não ser o trabalho da comunidade e os artigos que nos doam”, referiu ao DIÁRIO DA REGIÃO o coordenador da associação.

De acordo com as palavras de Aarão Fonseca, “todos os dias há recolhas” e o sentimento que sobressai é a gratidão. “Estamos muito agradecidos por estes 20 anos, que operamos na região de Setúbal e por todo o distrito, pela generosidade das pessoas. A obra cresceu também, porque as pessoas mantiveram o apoio à nossa organização”, disse. Em virtude do crescimento da organização, abriu em Dezembro de 2016 uma segunda loja solidária mais ampla para a recolha de mobiliário, localizada na Rua Acácio Barradas, em frente ao edifício Sado, em Setúbal.

Baseada na ética e na moral cristã, a associação fornece ainda ajuda alimentar a pessoas mais carenciadas nos bairros da Camarinha e Bela Vista. No total, são distribuídos 15 cabazes quinzenalmente. Este ano realizou-se a segunda Ceia Solidária, na véspera de Natal, na qual foram servidas 30 refeições a sem-abrigos.

A juntar a esta ajuda alimentar foi criado o serviço SOS REMAR. “Duas vezes por semana saímos à noite a lugares já identificados por nós, que são ocupados por sem-abrigos, onde distribuímos alguma alimentação e promovemos a ingressão dessas pessoas nos nossos centros”.

Em jeito de balanço dos últimos 20 anos, Aarão Fonseca agradece o apoio das autoridades e da sociedade civil, garantindo que continuará “a trabalhar contando e dependendo sempre das pessoas, pois sem elas nada existiria”.

- Pub -

Deixe uma resposta