Interesses há muitos, o nacional é que é só um!

149
visualizações

Rui Moreira, Presidente da Câmara Municipal do Porto assinou um artigo que publicou no jornal “Correio da Manhã” assumindo a paternidade da ideia da construção de um pequeno aeroporto complementar ao de Lisboa, assumindo que este seria o que melhor beneficiaria a região do Porto.
Portanto, o Rui Moreira, esclarece aqui que foi a Associação Comercial do Porto que apresentou a ideia da Portela + 1, evitando assim construir um verdadeiro aeroporto internacional no Campo de Tiro de Alcochete e a concretização da Plataforma Logística do Poceirão, a Terceira Travessia do Tejo, a ligação ferroviária norte-sul que o país não tem, um novo hospital na Península de Setúbal, entre outros investimentos. Este novo aeroporto no Campo de Tiro, que Rui Moreira se “gaba” de ter “anulado”, servindo assim “algum interesse”, serviria para competir com Madrid e Barcelona e de alavanca ao desenvolvimento do país.
Claro que está, a Associação Comercial do Porto opôs-se à Construção do novo aeroporto de Lisboa no Campo de Tiro e foi influenciando os decisores políticos que para além de anularem a decisão de construir o aeroporto no Campo de Tiro, foram passando valências para o aeroporto do Porto, que tem crescido em influência e “negócio”.
A solução Portela + 1 serve os interesses de Rui Moreira e da Associação Comercial do Porto, mas não serve o país, até porque é uma solução a prazo (prazo esse que servirá para consolidar o aeroporto do Porto – Francisco Sá Carneiro), na cena internacional em especial na Península Ibérica, o que tem acontecido em função do enfraquecimento da influência do aeroporto de Lisboa.
Sabemos por experiência própria que a falta de investimento em algumas regiões do nosso país, resulta em duas consequências, no ataque politico a quem gere a região e no sufoco económico e social das suas populações. E é disto que se trata, de uma declaração de guerra à Península de Setúbal e à população desta região, em especial à população do concelho da Moita e Barreiro por questões de qualidade de vida e no impedimento de que esta região se desenvolva na mesma proporção do que outras regiões portuguesas e europeias, em especial e em particular neste caso, que a grande região do Porto.
Que se faça pressão e lobby todos percebemos, que o governo decida em função desta pressão, não procurando o interesse nacional é que não.
Fez bem Rui Moreira em esclarecer a situação. O seu a seu dono. Que saibamos todos compreender o que está em causa e que lutemos para que o interesse de todos nós esteja acima de qualquer outro interesse, mesmo que este seja do governo, do Rui Moreira ou até da Associação Comercial do Porto.

Comentários

- Pub -