Jovem lança livro sobre dramas da adolescência

0
94
visualizações
Jovem lança livro sobre dramas da adolescência
Inês Marques, 17 anos, na apresentação do seu primeiro livro

Inês Marques, de Corroios, Seixal, estudante de Ciências e Tecnologia, lançou o seu primeiro livro, sobre o dia-a-dia de uma rapariga adolescente, no Café Literário da Chiado Editora, em Lisboa. “Espero que este livro inspire também outras pessoas”, diz a jovem autora

 

- Pub -

#SemDramas, assim se chama o primeiro livro de Inês Marques, uma jovem autora de 17 anos, residente em Corroios e a estudar Ciências e Tecnologia na Escola Secundária João de Barros, no Seixal, que decidiu transpor para o papel as vivências do dia-a-dia de uma adolescente. O livro foi apresentado ao público no Café Literário da Chiado Editora, no Tivoli Fórum, em Lisboa, em Dezembro, e já vendeu mais de 100 cópias.

Um número que o próprio título do livro subentende, podendo ler-se como “100 dramas” ou “sem dramas”. A história centra-se na personagem de Alexandra, uma rapariga que se depara com os primeiros dilemas habituais da adolescência, como a primeira paixão, a pressão da família em relação ao futuro profissional, a morte de um familiar ou até uma tentativa de suicídio. “O que tentei fazer no meu livro foi pegar na Alexandra, que tem os mesmos amigos de sempre, os dramas familiares normais, e contar uma história com a qual os adolescentes se identificassem”, explica em entrevista ao DIÁRIO DA REGIÃO.

Trata-se de uma obra de ficção. No entanto, a autora não nega que alguns dos episódios contados na história tenham acontecido a nível pessoal. “Tive de me agarrar a tudo o que tinha vivido até àquele momento para conseguir criar a história da Alexandra. Em tempos, a Alexandra e eu tiveram o mesmo nível de maturidade e os mesmos pensamentos. Mas entretanto cresci e a minha maturidade aumentou”.

O processo de escrita surgiu casualmente. “Tudo começou depois de uma amiga minha ter-me enviado o rascunho de um suposto livro que ela ia escrever”. A partir daí, Inês Marques, na altura com 12 anos, lançou-se ao computador num processo de escrita que terminou quando já tinha 15. A intenção de publicar o livro guardou-a em segredo até um mês antes de terminar a história. Quando a revelou aos pais, eles abraçaram o projecto do livro de forma “incondicional” desde a primeira hora.

Inês Marques espera agora vir a inspirar outras pessoas a escrever, reflectindo sobre as vivências e os dramas próprios de cada fase da vida. A escrita, tal como a leitura, sempre foi um hobbie que cultivou, tendo visto o seu primeiro texto publicado com 6 anos. Hoje, mantém uma colaboração regular com a Chiado Editora (que edita o livro) publicando poemas numa antologia anual. Ainda assim, diz, nunca pensou seguir a profissão de escritora: “tenho noção de que em Portugal é difícil viver exclusivamente da escrita”.

A um ano lectivo de terminar o curso de Ciências e Tecnologias, a jovem autora – que de resto recebeu todo o apoio dos professores em relação ao projeto do livro – reconhece que estuda numa área oposta à das letras e humanidades, e está a equacionar seguir Comunicação Social ou Marketing na faculdade, ainda que sempre tenha ouvido dizer “que o curso de Ciências dava mais opções profissionais de futuro”.

Inês Marques está focada na promoção da sua primeira obra, mas adianta que entretanto já começou a alinhavar ideias para uma próxima. “A minha professora da primária sempre me deu muita motivação e uma vez num livro de finalistas escreveu-me uma dedicatória em que dizia ‘Espero um dia poder agarrar num livro e dizer que foi escrito pela minha aluna Inês’. É uma grande ironia”, remata.

O livro #SemDramas encontra-se à venda nas lojas online da Porta Editora, FNAC, Wook e Publicações Europa-América e em loja na livraria Hemus, podendo também encomendar-se através do email [email protected] ou da página @semdramas na rede social Instagram.

 

Percorra a fotogaleria para ver mais imagens da apresentação do livro, em Lisboa.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotografias: DR
- Pub -

Queremos saber a sua opinião.