Maior festival europeu de surf e música regressa em Março à Caparica

0
193
visualizações

Seis noites de concertos e outros tantos dias de surf para profissionais e amadores. Festival espera 1.000 atletas das mais importantes modalidades de ondas. Do lado da música há nomes como HBM, Sara Tavares, Carlão, Orelha Negra, Dead Combo ou Jimmy P

- Pub -

O ‘Caparica Primavera Surf Fest’ está de regresso à Costa da Caparica, concelho de Almada, de 22 a 31 de Março, com seis dias de surf, em todas as modalidades, e seis noites de concertos na praia.

O programa do maior festival nacional e europeu deste género, que mistura surf e música, foi apresentado esta quarta-feira, e inclui um cartaz musical com nomes como HBM, Sara Tavares, Carlão, Orelha Negra, Dead Combo, Jimmy P, TNT, Poli, Mateu Matou ou Sam The Kid & DJ Big.

Depois dos concertos, em que cada noite é dedicada mais a um estilo musical, do hip-hop ao rock passando pela musica africana, a animação prolonga-se pela madrugada ao som de Dj’s como Loony Johnson, Ricky Boy ou Nelson Cunha.

Do lado do surf, haverá 28 provas das mais importantes modalidades de onda, como bodysurf, bodyboard, skim, sup ou kitsurf. São 10 competições internacionais, 10 nacionais e 8 regionais, que vão trazer à Costa da Caparica um total de cerca de 1.000 atletas de 25 países.

O surf estará disponível também para o público em geral, com oportunidade de qualquer pessoa experimentar várias modalidades gratuitamente.

António Miguel Guimarães, da organização, sublinhou que o ‘Caparica Primavera Surf Fest’ é um festival “único” pela ligação entre surf e música em que, no ano passado, todas as noites estiveram com lotação esgotada, à excepção de uma com um pouco menos de público.

O evento é organizado pela Câmara Municipal de Almada em parceria com 50 outras instituições, entre as quais as juntas de freguesia do concelho.

 

Caparica cidade do surf e praia mais portuguesa de Portugal

Com este festival de Primavera, a organização e a autarquia pretendem continuar a afirmação da Costa da Caparica como capital do surf.

“Em 2018 a Caparica vai ser uma ‘surf city’ com quase 50 provas ao longo do ano’, disse Miguel Inácio, da organização desportiva do festival.

Da mesma forma, João Couvaneiro, vereador da Cultura da Câmara de Almada afirmou a vontade da autarquia de “fazer da Caparica a praia mais portuguesa de Portugal”.

“O surf é uma actividade desportiva de excepção porque permite contacto sublime com a natureza, com o sol, o mar e a areia, e que tem um life-style, um estilo de vida, associado”, disse João Couvaneiro.

 

Inês Medeiros destaca importância para turismo e economia da Costa

A presidente da Câmara de Almada destacou a importância do ‘Caparica Summer Fest’ para o turismo e comércio da Costa recordando que “não há actividades estanques” pelo que o festival está relacionado com desporto, turismo e cultura, e que tem também as componentes económica e social.

“Vai ser uma semana de festa, convívio e solidariedade”, disse Inês de Medeiros, acrescentando que “no Município de Almada e na comunidade da Costa da Caparica todos estão empenhados em acolher bem os visitantes e participantes no festival”.

A autarca garantiu que a “Costa de Caparica é uma prioridade para a Câmara Municipal de Almada” que tem no programa ‘Costa todo o ano’ uma “aposta clara” para dar maior dinâmica àquela zona do concelho.

Segundo a presidente da Câmara o surf é já uma realidade, e não é apenas uma potencialidade, na Costa, onde existem actualmente 30 escolas de surf, sete fábricas de pranchas, quatro clubes activos, 12 lojas de surf e o Museu do Surf “único no país”.

“Temos possibilidades de conciliar o surf com as actividades mais tradicionais da Caparica”, defendeu Inês de Medeiros, dando o exemplo de uma maior ligação aos pescadores.

- Pub -

Queremos saber a sua opinião.