Setúbal, Palmela e Sesimbra têm 60 mil utentes sem médico de família

153
visualizações
Directora do agrupamento admite carência de profissionais mas promete estudar hipóteses para colmatar necessidades como as sentidas no Posto de Saúde do Poceirão
Setúbal, Palmela e Sesimbra têm um total de 60 mil pessoas sem médico de família atribuído, revelou Bárbara Carvalho, directora do ACES Arrábida, o agrupamento de centros de saúde destes três concelhos, em reunião com a presidente da Junta da União de Freguesias do Poceirão e Marateca.
Segundo a autarca Cecília Sousa, em reunião na passada quinta-feira, a responsável pelo agrupamento de centros de saúde disse que o número de utentes sem médico de família revela uma “grande carência de profissionais”.
Apesar da falta de médicos, Bárbara Carvalho prometeu estar atenta e “estudar hipóteses que possam colmatar” as necessidades, como as sentidas no Poceirão, onde o Posto de Saúde local se debate com falta de médicos e enfermeiros.
A sensibilização dos profissionais para os atrasos na emissão de receitas médicas a doentes com doenças crónicas foi uma das hipóteses apontadas por Bárbara Carvalho para tentar minimizar os problemas nos centros de saúde.
A presidente da Junta defendeu também que “é fundamental que se realizem acções de sensibilização e rastreio para cuidados de saúde junto da população de Poceirão e Marateca” e acrescentou, depois da reunião, prever que essas acções possam “acontecer em breve”.
A autarquia prometeu à directora do ACES Arrábida disponibilidade para “encontrar as respostas” que possam ajudar o agrupamento de centros de saúde a encontrar soluções para o bem-estar das populações.

Comentários

- Pub -