PS, PSD e PCP contra o encerramento da estação dos CTT no Lavradio

0
40
visualizações

Depois dos CTT terem confirmado o encerramento de 22 lojas por todo o país, entre elas a estação do Lavradio, no Barreiro, o PS, o PSD e o PCP mostraram-se indignados perante esta situação.

O Partido Socialista, força política que gere a Câmara, Assembleia e União de Juntas de Freguesia do Barreiro e Lavradio, considerou esta decisão de “lamentável” e prometeu “levar o caso até às mais altas instâncias”.

- Pub -

“A decisão do encerramento do posto dos CTT no Lavradio, que serve mais de 10.000 habitantes, decretada na calada de uma quadra festiva, sem comunicação prévia às autarquias locais, é lastimável e será combatida com todas as nossas forças”, adiantam os socialistas.

Enquanto presidente da Assembleia Municipal do Barreiro e líder do PS, André Pinotes Batista afirmou que tudo fará para impedir que esta situação aconteça, pois “além de um serviço indispensável de proximidade, estão em causa quase uma centena de postos de trabalho”.

O presidente da Câmara Municipal, Frederico Rosa, já fez saber que irá requerer, com carácter de urgência, uma reunião ao Conselho de Administração dos CTT.

“A natureza privada desta empresa não reduzirá a nossa determinação. Tudo faremos para que nenhum cidadão fique privado deste serviço”, garantiu.

Por sua vez, Gabriela Guerreiro, presidente da União de Juntas de Freguesia do Barreiro e Lavradio, tornou pública a sua indignação e contestação perante esta decisão, prometendo levar este assunto “até onde for necessário”.

Já o social-democrata, Bruno Vitorino, considera que a autarquia pode e deve dar uma resposta à população na sequência do aviso de encerramento dos CTT na freguesia, propondo que se negocie a deslocalização dos serviços para o mercado do Lavradio.

“Tal como propus aquando o encerramento dos CTT na Quinta Grande, entendo que seria de todo o interesse a autarquia reunir com a administração da empresa e negociar a deslocalização dos serviços para o mercado do Lavradio. Prestava-se assim um serviço de proximidade à população e poderia ser um equipamento âncora que poderia dinamizar este mercado”, refere o vereador do PSD.

Para Bruno Vitorino este encerramento “vem causar grandes transtornos a uma população, na sua maioria envelhecida, que depende dos correios para receber as suas reformas e pensões”.

A instalação destes balcões do munícipe nos mercados municipais do concelho é já uma proposta antiga do PSD, que tem como objectivo criar gabinetes de atendimento dos serviços municipais em proximidade às populações, bem como revitalizar esses mesmos mercados, levando as pessoas de volta ao comércio local.

O social-democrata revelou que o PSD irá apresentar na Junta de Freguesia e na Câmara uma proposta para a instalação de um posto dos CTT no Mercado Municipal do Lavradio que funcione no já proposto balcão do munícipe.

Por sua vez, o PCP condena esta situação. Para os comunistas este é “mais um passo no desmantelamento de um serviço público essencial ao país, às populações, ao desenvolvimento regional e à coesão territorial”.

“Os CTT, privatizados durante o governo anterior do PSD/CDS têm vindo a assumir uma postura de mercantilização dos serviços de correios, numa empresa que até então era pública e viável, abrindo horizontes a outras tipologias de negócios e degradando cada vez mais um serviço que conta com mais de 500 anos de existência”, salienta o PCP.

Os comunistas lembraram também o encerramento da estação da Quinta Grande, no Barreiro, que teve impactos directos na população da Verderena e Alto do Seixalinho e indirectos devido ao aumento de afluência noutros postos no concelho.

“Tal como já em 2013 era suspeito, o funcionamento de postos de correios em balcões privados, apresentavam alguns problemas à população: quer do ponto de vista dos serviços prestados e funcionamento dos mesmos, quer até em alguns casos ao nível do direito de confidencialidade postal”, relembra o partido de esquerda.

Perante este processo, “em que fica mais vincada a importância de recolocar os CTT na esfera da gestão pública”, a Comissão Concelhia do Barreiro do PCP manifestou a sua solidariedade com os trabalhadores da empresa e com a população da freguesia do Lavradio que se virá agora privada deste serviço público.

Socorro, Junqueira, Filipa de Lencastre, Olaias (Lisboa), Camarate (Loures), Aldeia de Paio Pires (Seixal), Lavradio (Barreiro), Alpiarça (Santarém), Alferrarede (Abrantes), Asprela, Areosa, Galiza (Porto), Riba d’Ave (Vila Nova de Famalicão), Termas de São Vicente (Penafiel), Paços de Brandão (Santa Maria da Feira), Freamunde (Paços de Ferreira), Araucare (Vila Real), Universidade (Aveiro), Barrosinhas (Águeda) e Avenida (Loulé) são as lojas que estão previstas encerrarem em Portugal continental. Já nas regiões autónomas estão previstos dois encerramentos: Calheta (Ponta Delgada) e Arco da Calheta (Madeira).

- Pub -

Queremos saber a sua opinião.