SETÚBAL Funeral de pescador do Faralhão não deve ser antes do Natal

62
visualizações

Lélio Parreira, 45 anos, morreu quando tentava libertar uma ganchorra no fundo mar ao largo da Comporta

- Pub -

 

O funeral de Lélio Parreira, o pescador de 45 anos que faleceu na sexta-feira na zona da Comporta, não deve realizar-se antes do Natal, apurou o DIÁRIO DA REGIÃO.

O corpo está à guarda da Marinha Portuguesa, que fez o resgate, e só deverá ser entregue à família na quarta-feira, dia 27.

O pescador do Faralhão, concelho de Setúbal, morreu na sexta-feira quando tentava resolver um problema numa embarcação de pesca da ganchorra a cerca de uma milha (1,6 quilómetros) da Comporta, disse à agência Lusa o capitão do porto de Setúbal, Luís Lavrador.

“Recebemos o alerta cerca das 16:00 e, por coincidência, tínhamos vários meios naquela zona, que deslocámos de imediato para o local – uma lancha da Polícia Marítima, outra do Instituto de Socorros a Náufragos e uma corveta da Marinha -, além de acionarmos um helicóptero da Força Aérea Portuguesa”, disse Luís Lavrador.

“O pescador, de 45 anos, utilizou o equipamento de mergulho para tentar libertar a ganchorra da embarcação ‘Joi’, matriculada no porto de Setúbal, que terá ficado presa a cerca de 20 metros de profundidade”, acrescentou. Uma ganchorra é uma armação em ferro, equipada com pontas em bico, para apanhar ameijoas no fundo do mar.

De acordo com o responsável pela capitania de Setúbal, o mestre da embarcação deu o alerta algum tempo depois, quando percebeu que o pescador demorava em regressar à superfície.

Segundo Luís Lavrador, o pescador foi resgatado por elementos do Instituto de Socorros a Náufragos e transportado de helicóptero para o Montijo, onde foi declarado o óbito.

A capitania do porto de Setúbal não adiantou qualquer explicação sobre as eventuais causas da morte do pescador.

Lélio Parreira era do Faralhão, onde foi criado, numa família de pescadores, e deixa dois filhos. O filho mais velho já é também pescador e trabalhava ao lado do pai, na mesma embarcação.

DIÁRIO DA REGIÃO com Lusa

Comentários

- Pub -