Vítor Hugo Valente e António Santos vão discutir presidência do Vitória

0
25
visualizações

Vítor Hugo Valente (lista A) e António Santos (B) apresentaram ontem, último dia do prazo, as respetivas listas candidatas à direcção do Vitória de Setúbal no triénio 2017-2020, sufrágio que está agendado para 21 de Dezembro. O primeiro confirmou o que já tinha avançado na passada semana, enquanto o segundo representa uma surpresa, uma vez que já tinha afirmado publicamente que não seria candidato.
Sem Fernando Oliveira, trata-se de uma reedição das eleições do passado mês de Março que foram então ganhas pelo actual líder demissionário, que ficou à frente de Vítor Hugo Valente e António Santos, respectivamente, segundo e terceiro candidato mais votado. Após o final do prazo para entrega de listas, 18 horas, Fernando Cardoso Ferreira, líder da Assembleia Geral, permaneceu nos serviços administrativos por um longo período para verificar as candidaturas.
Acompanhado por elementos da sua lista, o advogado Vítor Hugo Valente, apresentou a sua lista pelas 11 horas. Ao contrário do que tinha anunciado, recuou na decisão de apresentar uma lista completa a todos os órgãos sociais (Assembleia geral, direção, Conselho Fiscal e Disciplinar e Conselho Vitoriano), fazendo-o apenas à direção tal como anunciado na convocatória da mesa da Assembleia Geral.
“Trouxemos connosco uma lista completa, ou seja, para os quatro órgãos que constam nos estatutos do Vitória, uma vez que esperávamos que o presidente da Assembleia Geral pudesse, até ao último momento, mudar a sua posição de aceitar apenas a candidatura à direção”, explicou.
Vítor Hugo Valente disse continuar sem perceber a decisão de Fernando Cardoso Ferreira, líder da Assembleia Geral. “Lamento dizer, mas perdemos a confiança no presidente da Assembleia Geral. Fomos sensíveis ao enorme número de sócios que nos pediu que apresentássemos só a lista para a direção. Acima das opiniões e circunstâncias tem de estar sempre os interesses do clube e o futuro próximo”, justificou.
Ainda antes de saber que iria surgir a candidatura de António Santos, Vítor Hugo Valente assegurou estar preparado para qualquer cenário. “Não sei, não é assunto que nos preocupe. O Vitória é um clube democrático e os sócios sempre souberam escolher. São eles os verdadeiros e únicos donos do clube e cabe-lhes a eles a escolha. Se for a nossa ou aparecerem outras listas estou descansado porque sei que vão escolher bem”, referiu.
António Santos, ex-treinador de andebol do Vitória, que juntamente com o seu mandatário, Júlio Adrião, entregou a lista às 17h50, explicou as razões de ter voltado atrás na decisão de não se candidatar. “Queríamos inviabilizar a possibilidade de se formar uma Comissão de Gestão que representaria, em nossa opinião, o prolongar da lenta agonia do clube”, explicou, referindo que não tinha a certeza da candidatura de Vítor Hugo Valente.
“Não sabíamos o que vinha ser apresentado, se uma lista completa (que podia ser recusada) se uma só para a direcção. Quisemos precaver para a possibilidade de ser rejeitada essa candidatura e formada uma Comissão de Gestão, que era o que estava a ser preparado”.
Compete agora ao presidente da Assembleia Geral decidir se aceita as candidaturas. António Santos não exclui a possibilidade de abdicar da sua candidatura. “Vamos avaliar a situação muito bem. Nenhum cenário está afastado. Uma coisa é certa: o cenário de Março, com Fernando Oliveira candidato, não se repete”, congratulou-se.

- Pub -

Queremos saber a sua opinião.