Derrota sadina em duelo de Vitórias afunda equipa de Couceiro

Desporto Últimas

O Vitória de Setúbal sofreu a quarta derrota consecutiva no campeonato ao perder com o V. Guimarães, no Estádio do Bonfim, por 1-2. Os golos dos nortenhos foram apontados por Raphinha, aos 12 (de grande penalidade) e 61 minutos, enquanto Gonçalo Paciência, que na primeira parte protagonizou um lance polémico, fez o tento dos anfitriões.
A equipa treinada por Pedro Martins assegurou o êxito sobre os sadinos, o terceiro consecutivo fora de casa no campeonato, graças aos golos de Raphinha, aos 12, de grande penalidade, e 61 minutos. Já os setubalenses, que somam apenas dois triunfos nas 13 jornadas realizadas, continuam a afundar-se na tabela classificativa.
Depois de a sua equipa ter sofrido 12 golos nas últimas três jornadas, José Couceiro apostou numa defesa formada por três centrais – Pedro Pinto, Semedo e Vasco Fernandes – para travar o ataque dos minhotos. A estratégia não surtiu efeito porque logo aos 12 minutos, na sequência de um contra-ataque rápido, o árbitro Vasco Santos assinalou grande penalidade a favor dos vimaranenses por mão na bola de Semedo no interior da área. Na conversão, Raphinha inaugurou o marcador para os forasteiros.
Na resposta, aos 15 minutos, após canto na direita, Gonçalo Paciência cabeceou e a bola acertou no poste e embateu em Douglas num lance em que os sadinos reclamam que a bola transpôs totalmente a linha de golo. O juiz portuense não o entendeu deixando em polvorosa os adeptos presentes no Bonfim.
A perderem por 0-1, os sadinos procuraram reagir, conseguindo a partir dos 20 minutos acercar-se com mias perigo da área do conjunto minhoto. Gonçalo Paciência, que aos 33 minutos rematou sobre a trave, era quem mais trabalho dava à defesa contrária.
Muito velozes a sair para o contra-ataque, os minhotos pecaram na eficácia, destacando-se neste capítulo Heldon e Raphinha. Aos 35, um erro de bradar aos céus de Vasco Fernandes que sobre a linha de meio-campo isolou Heldon, só não deu golo devido à falta de pontaria do atacante.
Aos 38, foi a vez de Raphinha imitar o colega ao desperdiçar o 0-2 do Vitória de Guimrães. O autor do primeiro golo foi egoísta ao não assistir dois colegas que estavam em melhor posição, optando por rematar e errar o alvo.
No último lance do primeiro tempo, os sadinos só não chegaram à igualdade porque João Teixeira, que regressou à equipa depois de ter estado impedido de defrontar o Benfica na ronda anterior, rematou cruzado ao lado do poste direito quando tinha tudo para facturar.
Os setubalenses, já com João Amaral em campo (substituiu Willyan), entraram pressionantes no segundo tempo. Logo aos 47 minutos, João Teixeira rematou de meia distância levando a bola a passar a centímetros do poste direito da baliza defendida por Douglas.
Aos 60 minutos, o Vitória de Setúbal voltou a visar a baliza de Douglas, mas o remate de Gonçalo Paciência saiu à figura do guarda-redes. No minuto seguinte, em contra-ataque, o conjunto de Guimarães chegou ao 2-0 num lance em que Raphinha, assistido por Tallo, bisou.
O golo dos minhotos afetou os comandados de José Couceiro que a partir daí perderam a clarividência – que nunca foi muita, diga-se -, passando a atacar sem critério de forma cada vez mais atabalhoada.
Perante a pressão dos anfitriões, o defesa Jubal derrubou Edinho no interior da área, aos 87 minutos. Gonçalo Paciência encarregou-se da marcação e fez o golo de honra dos setubalenses, não evitando o desaire, por 1-2, para o V. Guimarães.

Deixe uma resposta