Vitória sem capacidade para evitar goleada (6-0) na Luz

Desporto

Uma semana depois de ter sido eliminado pelo Benfica na 4.ª eliminatória da Taça de Portugal (2-0 para o conjunto lisboeta), o Vitória de Setúbal voltou ontem, em partida da 12.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, a sair derrotado do Estádio da Luz, desta vez com um resultado mais desnivelado: 6-0. Os sadinos jogaram a segunda parte em inferioridade numérica devido à expulsão de Nuno Pinto (45 minutos), factor que ajuda a explicar a goleada sofrida.

A estratégia sadina começou a cair por terra logo aos sete minutos, altura em que o veterano Luisão inaugurou o marcador para as águias. Ainda na primeira parte, os comandados de Rui Vitória ampliaram a vantagem para 2-0 com um golo apontado pelo avançado Jonas, que consolidou o estatuto de melhor marcador do campeonato.

Com um onze inicial constituído por Cristiano, Arnold, Vasco Fernandes, Semedo e Nuno Pinto, Nenê Bonilha, Podstawski, Costinha, André Sousa João Amaral e Gonçalo Paciência, o treinador José Couceiro viu do banco de suplentes a sua equipa encaixar o 1-0 num lance de bola parada. Pizzi cobrou um livre para a área e Jardel assistiu, de cabeça, Luisão, que desviou para o golo.

Em desvantagem no marcador, o conjunto setubalense tentou reagir e, aos 22 minutos, quase conseguiram repor a igualdade. Costinha rematou de longe e a bola sobrou para Gonçalo Paciência que rematou à baliza, mas André Almeida deu o corpo à bola evitando males maiores para a baliza do guarda-redes Bruno Varela.

Apesar da tentativa, os benfiquistas, que na próxima jornada defrontam o actual líder FC Porto, no Estádio do Dragão, não pararam de visar a baliza de Cristiano. O guarda-redes, que substituiu o habitual titular Trigueira, viu o perigo rondar a sua baliza aos 39 minutos. Luisão cabeceou e Cristiano, que fez o seu primeiro jogo pelo Vitória no campeonato, não arriscou, desviando por cima da trave.

Na cobrança de um canto, na jogada imediata, os encarnados dilataram a vantagem para 2-0, mas uma vez na sequência de um lance de bola parada. O artilheiro do campeonato, Jonas, cabeceou certeiro, após canto de Pizzi. Aos 45 minutos, a tarefa dos sadinos ficou ainda mais complicada, uma vez que o defesa Nuno Pinto, que já tinha sido advertido aos 34 minutos, viu o segundo cartão amarelo e consequente vermelho, após falta cometida sobre Luisão. Antes do intervalo, Cristiano impediu que os anfitriões voltassem a marcar ao opor-se com uma boa defesa a um cabeceamento de Jonas.

Se argumentos para evitar humilhação

Após o intervalo, com mais um jogador em campo, o Benfica chegou facilmente à goleada. Sálvio, aos 48 minutos, após assistência de Pizzi, desviou a bola do guardião sadino, fazendo o 3-0. Sem surpresa, aos 66 e 68 minutos, as águias voltaram a facturar. Jonas (bisou) e André Almeida foram, respectivamente, os marcadores de serviço do 4-0 e 5-0 numa altura em que o domínio encarnado era avassalador.

Até ao apito final, o Benfica, que após a eliminação das competições europeias na passada quarta-feira está agora totalmente focado nas provas internas, continuou em busca de golos. Para os sadinos a humilhação foi ainda maior quando sofreram o 6-0, aos 87 minutos, num lance em que Cristiano ficou péssimo na fotografia. O sérvio Zivkovic rematou e o guardião deixou a bola escapar para dentro da baliza, fazendo o 6-0 final.

 

Deixe uma resposta