Montijo registou 59 hectares de área ardida este ano

Local Últimas Últimas C

Comissão Municipal da Protecção Civil fez balanço a incêndios ocorridos em 2017. No concelho montijense, o número de ocorrências diminuiu em relação ao ano anterior, mas a área devastada foi superior. Fogos atingiram 20.8 hectares de povoamentos e 38.2 de matos

A Comissão Municipal de Protecção Civil (CMPC) reuniu esta quinta-feira, 23, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, no Montijo, onde foi apresentado o balanço do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF 2017). No concelho montijense, o balanço apontou para um total de 59 hectares de área ardida.

Segundo a autarquia, de acordo com os dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), no concelho do Montijo foram registadas 40 ocorrências – 12 ocorrências florestais (superiores a 5 hectares) e 28 fogachos.

“A área ardida de povoamentos foi de 20.8 hectares e de matos 38.2 hectares, totalizando 59 hectares de área ardida. Este número de ocorrências é inferior ao do ano anterior, mas superior em área devido a grandes incêndios nas freguesias de Sarilhos Grandes e na União de Freguesias de Pegões”, explica a Câmara Municipal, em nota de Imprensa.

Já o comandante da Associação dos Bombeiros Voluntários de Canha, Urbano Emídio, informou também que a corporação que dirige, além das ocorrências na área prioritária de actuação, “esteve presente em 20 intervenções no distrito de Santarém e em 16 no distrito de Évora, bem como nos grupos de combate a incêndios florestais em Grândola e em Alcácer”, realça a autarquia. Os Bombeiros de Canha integraram ainda o grupo de ataque ampliado do Distrito de Setúbal, num total de 20 dias de intervenção em ocorrências.

Pelos Bombeiros Voluntários do Montijo, o 2.º comandante Luís Silva indicou que esta corporação apresentou-se em acção em “106 ocorrências a nível nacional, com um número de 484 bombeiros, num empenhamento de operacionais em 829 horas em território nacional”.

A limpeza de terrenos privados, públicos, assim como a preservação dos corredores verdes foram outros dos temas debatidos pelos conselheiros, adiantou a autarquia.

A edilidade lembra que são conselheiros da CMPC “a Câmara Municipal do Montijo, as associações humanitárias de Bombeiros de Montijo e Canha, a Polícia de Segurança Pública, a Cruz Vermelha, o Destacamento Territorial de Palmela, a Capitania do Porto de Lisboa, a Administração Regional de Saúde de Lisboa/ACES Arco Ribeirinho, a Base Aérea n.º6, o Instituto de Segurança Social e as Juntas de Freguesia do concelho”.

Deixe uma resposta