Primeiro-ministro visitou paiol no Seixal que alberga parte das armas furtadas

Foto de Arquivo
Local Últimas Últimas C

António Costa esteve pouco mais de 30 minutos em Fernão Ferro. Governante salientou que actualmente todo o material militar está resguardado em paióis seguros, como o de Fernão Ferro

O primeiro-ministro, António Costa, visitou durante a tarde desta quarta-feira um paiol em Fernão Ferro, no concelho do Seixal, que alberga material transferido de Tancos, inclusive algum do furtado e entretanto recuperado.

“Hoje temos todo esse material militar devidamente resguardado em paióis que oferecem toda a segurança e, portanto, em condições de não se voltarem a repetir as situações que ocorreram em Tancos. Resta-nos agora aguardar que a Justiça conclua o seu trabalho de investigação sobre essa ocorrência”, declarou o primeiro-ministro no final da curta visita, de pouco mais de 30 minutos, ao Depósito de Munições da NATO, situado em Fernão Ferro.

Já ao final da manhã, mas em Mafra, e depois de uma visita ao Exército, Costa havia sublinhado que o material que estava nos paióis de Tancos foi movimentado para outras instalações que garantem aos portugueses que novo furto de armas não se repetirá.

“Já foi removido de Tancos todo o material que estava nos paióis”, material que foi recondicionado “em novas instalações militares que oferecem segurança e asseguram aos portugueses” que não se repetirá uma situação como a que aconteceu em Tancos, garantiu o chefe do Governo, que depois visitou um dos espaços que alberga parte do material outrora de Tancos.

Em Junho, o Exército revelou a violação dos perímetros de segurança dos Paióis Nacionais de Tancos e o arrombamento de dois ‘paiolins’, tendo desaparecido granadas de mão ofensivas e munições de calibre nove milímetros.

Entre o material de guerra furtado dos Paióis Nacionais de Tancos estavam “granadas foguete anticarro”, granadas de gás lacrimogéneo e explosivos, segundo a informação divulgada pelo Exército.

Na terça-feira, o presidente da comissão de Defesa Nacional disse ter ficado esclarecido com as justificações dadas “com total transparência” pelo chefe do Estado-Maior do Exército, numa audição sobre o furto de material militar em Tancos.

O general Rovisco Duarte foi ouvido, à porta fechada, durante três horas e meia na comissão parlamentar de Defesa Nacional, a requerimento do CDS-PP, que pretendia esclarecimentos sobre a recuperação do material militar roubado na base de Tancos, sobre a desactivação daquela base militar e sobre as medidas de segurança adoptadas nas unidades do Exército.

O ministro da Defesa Nacional vai ser ouvido na comissão parlamentar na próxima terça-feira, dia 28. A audição de Azeredo Lopes foi requerida pelo PS depois de ter sido divulgada, pela Polícia Judiciária Militar, em 18 de Outubro, a recuperação do material de guerra furtado na base de Tancos para “actualizar informação”.

Lusa

Deixe uma resposta