SETÚBAL: Moradores da Bela Vista decidem projectos para o bairro em encontro no domingo

Local C Sociedade

Moradores da Bela Vista vão reunir-se este domingo, 26, às 14h30, na Escola Secundária da Ordem Sant’Iago. Objectivo é debater os novos desafios e projectos futuros a desenvolver nos próximos dois anos

Decidir, Organizar e Realizar são os três verbos, que dão o mote ao 4º Encontro de Moradores Nosso Bairro, Nossa Cidade, no qual se irá debater, avaliar e perspectivar novas medidas e planos de acção para o desenvolvimento de projetos em prol da comunidade para os próximos dois anos.
A conferência de imprensa de apresentação do 4º Encontro de Moradores (Decidir, Organizar e Realizar) decorreu esta segunda-feira, 20, no café do Parque Verde da Bela Vista e contou com a presença de Carlos Rabaçal, vereador do Departamento de Obras Municipais e Gabinete de Apoio às Freguesias, Isabel Quadros, da Junta de Freguesia de São Sebastião, técnicos municipais e um grupo composto por 13 moradores dos vários bairros abrangidos pelo programa Nosso Bairro, Nossa Cidade.
O evento “ganha particular importância, uma vez que é o primeiro encontro da segunda fase do programa e beneficia da experiência acumulada de cinco anos, o que coloca mais desafios”, como sublinhou o vereador Carlos Rabaçal, responsável pelo programa.
De acordo com as suas palavras, “o encontro de domingo terá um plenário de apresentação dos objectivos da reunião, onde participará o executivo, depois haverão grupos de trabalho por bairro e no final, um plenário, onde um relator eleito por cada um dos grupos de trabalho fará uma súmula das conclusões”.
Carlos Rabaçal explicou que na primeira assembleia dos moradores realizada este verão se fez um balanço dos cincos anos do programa, definindo-se vários blocos de orientação tais como a manutenção da estratégia colectiva e democrática dos moradores em todo o processo do programa; a afirmação de uma lógica de autonomia dos moradores; a manutenção da lógica dos moradores assumirem o poder de decidirem da sua vida nos seus bairros e a garantia de que os moradores são os donos/proprietários dos bairros.
Já a segunda grande linha de orientação prendeu-se com a garantia do crescimento das organizações de moradores, através da criação de mais comissões para a área de trabalho, comissões de bairro e comissões de pátio. No fundo, “a organização é a linha pela qual os moradores podem decidir sobre as coisas de forma ordenada e colectiva, focando-se nas suas necessidades e objectivos colectivos”, acrescentou o vereador.
O terceiro e último bloco de orientações relaciona-se com a prossecução e desenvolvimento dos projectos em curso, como as férias no bairro, o programa de reabilitação dos espaços Nosso Bairro, Nossa Cidade, entre outros.
Assim, “este 4º encontro vai ter de olhar para a forma de manter a vida colectiva, a organização e a garantia do prosseguimento dos projectos, tendo em conta que estes só se concretizam com comissões organizadas por moradores, caso contrário não se fazem”, afirmou o representante do executivo camarário.
As decisões resultantes do 4.º Encontro de Moradores Nosso Bairro, Nossa Cidade dizem respeito aos próximos dois anos e visam os cinco bairros abrangidos pelo programa municipal desenvolvido desde 2012, concretamente a Bela Vista, Forte da Bela Vista, Alameda das Palmeiras, Manteigadas e Quinta de Santo António.
Na conferência de imprensa de apresentação, Carlos Rabaçal frisou que “os encontros dos moradores da Bela Vista têm sido das iniciativas mais bem estruturadas, organizadas e disciplinadas até hoje, atingindo-se um nível de qualidade, eficácia, organização e contributo de ideias superiores”, elogiou.
À semelhança do vereador, Teresa Martinho, residente no Forte da Bela Vista não tem dúvidas sobre o sucesso do Nosso Bairro, Nossa Cidade. “Se chegámos aqui é porque o programa tem corrido bem. Deu-nos mais força, uniu-nos e pôs-nos a trabalhar juntos. Acreditamos e, por isso, estamos no bom caminho.”
O mesmo sentimento foi partilhado por Eduarda Fernandes, moradora do Bairro da Bela Vista. “Estou na Bela Vista há 32 anos e esta iniciativa tem-se traduzido num esforço muito grande na melhoria dos bairros. Há mais diálogo com a autarquia e os encontros são importantes para dar continuidade ao trabalho.”
Francisco Rosário, ou (Tio Chico), como é conhecido entre a comunidade da Alameda das Palmeiras, é a figura sénior da comissão organizadora do encontro com elementos dos cinco bairros. “A mim já me resta pouco tempo neste mundo, mas o que fizer agora espero que venha a melhorar a vida dos meus netos e das gerações mais novas.”
Para Luísa Correia, das Manteigadas, o Nosso Bairro, Nossa Cidade “é um projeto de vida em comunidade e para a comunidade, que promove a interculturalidade”.
A participar pela primeira vez no encontro, Jorge Pina, representante da Quinta de Santo António, destacou que este é um programa que constitui “um fenómeno qualitativo em torno da urbanidade da zona da Bela Vista” e que o encontro é uma oportunidade para implementar mais recursos nos bairros.
A fechar, Isabel Quadros, em representação da Junta de Freguesia de São Sebastião sublinhou a pertinência do programa e do encontro, que considera ser “uma mais-valia na resolução de problemas e uma evolução, a nível de cidadania que promove e integra os cidadãos” na vida da cidade e dos próprios bairros.
O Nosso Bairro, Nossa Cidade assenta na premissa de que toda a acção deverá ser protagonizada pelos próprios, ou seja, deverá ser geradora de participação das pessoas nas decisões que a elas e à sua comunidade dizem respeito, promovendo a autonomia, a responsabilidade e o crescimento colectivo.
O vereador Carlos Rabaçal afirmou ainda que este não é um programa de natureza social. “Essa vertente está incluída. Contudo, este é um programa de participação cidadã e no espírito que move a estratégia do município. Gira em torno das necessidades das pessoas e, no fundo, confere poder às pessoas nas decisões.”
O 4.º Encontro de Moradores Nosso Bairro, Nossa Cidade decorre este domingo, às 14h30 com a actuação de grupos de dança e música de talentos dos bairros, seguindo-se meia hora depois uma sessão de abertura com o visionamento de um filme sobre os primeiros cinco anos do programa.
O evento contará com a presença de Maria das Dores Meira, presidente da Câmara de Setúbal, Carlos Rabaçal, vereador responsável pelo programa e Nuno Costa, presidente da Junta de Freguesia de S. Sebastião, assim como técnicos municipais e representantes dos cinco bairros abrangidos pelo programa.

Deixe uma resposta