Candidato à Liga dos Amigos de Sesimbra nega motivações partidárias

Local C Últimas B Últimas C

Associação que edita jornal ‘O Sesimbrense’ vive processo eleitoral ao rubro, com três listas na corrida. Um dos candidatos denuncia o que diz o “assalto” dos partidos à Liga e ao jornal, mas Carlos Macedo nega que a sua lista seja de BE e PS, embora reconheça que integra pessoas desses partidos    

Carlos Alexandre Macedo, candidato a presidente da Liga dos Amigos de Sesimbra (LAS), nega motivações partidárias na lista que encabeça, embora reconheça que entre os candidatos há pessoas ligadas a partidos.

“Não digo que não haja pessoas dos partidos, digo é que a lista não é algo instrumental feito por dois partidos [BE e PS]”, disse Carlos Macedo ao DIÁRIO DA REGIÃO, esta terça-feira, desmentindo as afirmações de Rui Novo, primeiro candidato conhecido, que denunciou o que diz ser a luta partidária pelo controlo da associação que edita o quase centenário jornal ‘O Sesimbrense’.

Rui Novo tinha dito ao DIÁRIO DA REGIÃO que os partidos políticos de Sesimbra estão a tentar tomar a liga de assalto.

“Aceitei ser candidato na tentativa de fazer uma lista de unidade e iniciámos contactos mas fomos surpreendidos pela formação de uma lista de pessoas ligadas ao Bloco de Esquerda que se juntaram ao Partido Socialista. Sabendo disto, a CDU constituiu também uma lista para ir contra BE e PS. Ou seja, estão a tomar de assalto o jornal e a liga dos Amigos de Sesimbra”, afirma Rui Novo.

Carlos Macedo responde que se trata de “insinuações, feitas de forma avulsa e pouco informada” e que “não é verdade que esta lista seja uma lista do BE e do PS”.

“Uma boa parte dos participantes não milita em nenhum partido e na lista consta até uma pessoa que integrou as listas do Movimento [independente] Sesimbra Unida (MSU) nas últimas autárquicas. Felizmente diversidade não nos falta.”, assegura o cabeça-de-lista, que não esconde ter sido número dois do BE à Câmara de Sesimbra nesta autárquicas, com Adelino Fortunato, que foi número um e que integra também esta candidatura à Liga.

Questionado sobre que explicação encontra para haver três listas concorrentes, quando geralmente é difícil formar-se uma lista para os órgãos sociais da LAS, Carlos Macedo responde que “haver três listas não é mau; a liga está a passar por um momento difícil, até em termos financeiros, e essa situação poderá ter motivado a preocupação das pessoas”.

O candidato defende que “a participação dos cidadãos na vida pública, seja nos partidos políticos, em movimentos políticos independentes, em movimentos sociais ou associativos é algo nobre e que não deve ser diabolizado” e sublinha que lidera uma lista de pessoas ligadas à associação.

“O candidato da nossa lista a presidir o conselho fiscal da LAS, Paulo Tomáz, já pertence aos órgãos sociais da liga há 12 anos nessa mesma função. Temos mais elementos que já pertenceram a órgãos da associação, ou que colaboraram no jornal. Uma das pessoas que nos tem apoiado e que ajudou no desenvolvimento do projecto é o antigo director do jornal” O Sesimbrense”, o João Augusto Aldeia. Não somos desconhecidos, nem chegamos agora.”, afirma, acrescentando que “só ingenuidade ou má-fé podem permitir afirmar que esta é uma lista partidária”.

Carlos Macedo recorda que a sua ligação ao jornal e a LAS não começou agora. “No meu caso particular, devo dizer-lhe desde logo que a primeira vez que escrevi para “O Sesimbrense”, foi há mais de 20 anos, uma espécie de crónicas satíricas quando tinha 18 anos. E apesar de um interregno, há vários anos que sou cronista no jornal, dedicando-me à temática da pesca e do mar”.

O cabeça-de-lista conclui que a sua candidatura “não está contra ninguém, é a favor da Liga dos Amigos de Sesimbra, e da sua dinamização” e defende que o jornal ‘O Sesimbrense’ deve continuar a ser um órgão de comunicação independente”.

As eleições para os órgãos sociais da Liga dos Amigos de Sesimbra, associação fundada a 15 de Novembro de 1951, que edita o quase centenário jornal ‘O Sesimbrense’ – fundado a 25 Julho 1926 – marcadas para o próximo dia 28, são as mais concorridas das últimas décadas, com três listas candidatas.

Nas ultimas décadas tem sido difícil os associados – cerca de 500 actualmente – conseguirem uma lista com concorrentes a todos os lugares mas este ano, segundo o primeiro candidato conhecido, a disputa partidária autárquica transferiu-se para o processo eleitoral da associação.

Rui Novo, cabeça da primeira lista a candidatar-se explicou ao DIÁRIO DA REGIÃO que aceitou candidatar-se depois de Carlos Sargedas e Félix Rapaz terem desistido de avançar precisamente por saberem das movimentações partidárias, de pessoas ligadas a BE e PS. Uma versão que Carlos Sargedas, fundador do movimento independente Sesimbra Unida (MSU) que tem concorrido nas duas últimas eleições autárquicas confirma, acrescentando que desde Maio não havia ninguém interessado em concorrer às eleições na Liga dos Amigos de Sesimbra.

“Apareceu uma lista para tentar fazer oposição, ainda que disfarçada, e outra para evitar que isso aconteça”, diz Carlos Sargedas, revelando que muitos dos agora candidatos foram inscritos propositadamente nas últimas semanas, com as novas inscrições a aproximarem-se das 50.  

Terceira lista só com sócios inscritos de véspera

A afirmação de Carlos Sargedas de que foram inscritos sócios na LAS propositadamente para estas eleições é corroborada por Carlos Macedo. Este cabeça-de-lista diz que “todos os candidatos da ultima lista a ser entregue foram inscritos na véspera”, incluindo o candidato a presidente, André Quaresma.

“No dia anterior foram inscritas 17 pessoas, entre as quais as 15 que são os membros candidatos aos órgãos sociais”, diz Carlos Macedo, acrescentando que “os estatutos da liga permitem candidatura de sócios inscritos nestas condições”.

André Quaresma, cabeça desta terceira lista, foi também candidato nas últimas autárquicas, neste caso pela CDU. É a esta candidatura que Rui Novo e Carlos Sargedas atribuem a conotação de ser uma lista da CDU, em resposta ao aparecimento da segunda lista que dizem estar ligada ao BE e PS.

Esta lista de André Quaresma integra também pelo menos uma pessoa, Filomena Raimundo, que foi candidata autárquica nas listas do PSD.

O DIÁRIO DA REGIÃO ainda não conseguiu ouvir André Quaresma.    

 

LISTA DE CARLOS MACEDO

(Enviada pelo próprio)  

DIRECÇÃO: PRESIDENTE: Carlos Alexandre Pinto de Oliveira Macedo VICE-PRESIDENTE: Maria da Glória Matos Chagas VICE-PRESIDENTE: Adelino Manuel Guimarães Fortunato TESOUREIRO: Paulo Fernando Cagica Carvalho SECRETÁRIA: Carina Macedo dos Reis VOGAL: Paulo Sérgio Azevedo Soromenho VOGAL: Carlos Jorge Lagos Ribeiro SUPLENTE: João Filipe Paulo Pólvora SUPLENTE: Rui Miguel Pinto de Oliveira Macedo

ASSEMBLEIA-GERAL: PRESIDENTE: Sérgio Miguel Redondo Faias VICE-PRESIDENTE: Bertina Pereira João Duarte SECRETÁRIO: José António dos Santos Gabriel  

CONSELHO FISCAL: PRESIDENTE: Paulo Jorge Rodrigues Tomaz SECRETÁRIO: Filipe Miguel Correia Baeta VOGAL: Bruno José Apolinário Vaqueiro

Deixe uma resposta