XXIV Jornadas da Medicina Interna na Casa da Baía

Local B Últimas C

Profissionais de saúde do Centro Hospitalar de Setúbal debateram as “Ligações Medicina Interna e Cuidados Primários”

 

Os dois dias das jornadas foram preenchidos por um vasto programa, que integrou grandes temas como “Importância do Risco Cardiovascular em Pessoas Assintomáticas”; “Insuficiência Cardíaca: O Que Devemos Mudar na Nossa Prática?”; “Terapêutica Inalatória em Ambulatório: Que Opções?”; “Terapêutica Biológica no Doente Reumatológico”; “As Vias de Comunicação com as Consultas Hospitalares de Medicina Interna”; “Continuidade de Cuidados em Enfermagem: A Alta para o Domicílio” e “Nutrição no Idoso”.

As jornadas abriram sexta-feira de manhã, 9, com a conferência “Importância do Risco Cardiovascular em Pessoas Assintomáticas”, por Francisco Silva, do Centro Hospitalar de Setúbal (CHS), seguida de uma mesa redonda, sobre a temática “Insuficiência Cardíaca: O Que Devemos Mudar na Nossa Prática?”.

Os trabalhos prosseguiram com um simpósio satélite, pelo pneumologia Pontes da Mata sobre “Terapêutica Inalatória em Ambulatório: Que Opções?”, seguido, mais uma vez, por uma mesa redonda, intitulada: “As Vias de Comunicação com as Consultas Hospitalares de Medicina Interna”. Nesse mesmo dia, foi ainda atribuído pela Comissão Organizadora das XXIV Jornadas de Medicina Interna do CHS, o “Prémio Dr. João Silva Duarte – Melhor Comunicação Oral”, no valor de 500 euros.

No sábado, 11, o programa começou com uma mesa redonda sobre a temática “Continuidade de Cuidados em Enfermagem: A Alta para o Domicílio”, moderada por Isabel Cordeiro, enfermeira de Medicina Interna do CHS. A fechar, as jornadas contaram ainda com a discussão em torno da “Nutrição no Idoso”.

O evento da comunidade científica do CHS foi antecedido por um Curso Teórico-Prático de Ventilação Não Invasiva.

Deixe uma resposta