DIREITO DE RESPOSTA Presidente da associação de comerciantes responde a acusações

Regional C Últimas C

Francisco Carriço responde ao artigo do DIÁRIO DA REGIÃO

Após ler a série de calúnias e difamações que dois diretores demissionários fizeram no jornal “Diário da Região” sobre esta prestigiada associação e sobre os seus presidentes, atual e passados, devo dizer que, normalmente, não perco tempo com respostas a disparates de pessoas mal formadas que se servem de todos os meios para tentarem atingir os fins, providos de uma ambição desmedida.
Peço, desde já, desculpa aos associados pois, ao constituir a lista para o meu último mandato como presidente desta associação e ao escolher as pessoas que me pareceram de melhor valor para a representação dos cerca de 4.500 associados que a compõem, não tive o melhor cuidado ao escolher estes dois diretores que, desde a sua entrada na direção, só levantaram problemas e insinuações que, mesmo com os esclarecimentos em reuniões de direção e fora delas, nomeadamente junto da nossa Contabilista Certificada, que foi professora universitária, agora reformada. Ainda assim, duvidavam de documentos e factos evidentes que nunca ninguém lhes vedou o acesso, devido à transparência que sempre houve nesta associação.
Quando o Sr. Ex-Tesoureiro, Pedro da Conceição, suspeitou das contas de 2016 disse-lhe para falar com o Conselho Fiscal e se este estivesse de acordo mandar-se-ia fazer uma auditoria em que o próprio Sr. Ex-Tesoureiro ficaria com a incumbência de escolher o auditor, os temas e os anos a auditar.
Na reunião de 3 de Agosto de 2017, o Sr. Ex-Tesoureiro disse a todos os colegas de direção que já tinha contratado o auditor. Outro colega de direção propôs, sendo aprovado, por unanimidade, que se contactasse de imediato o Sr. Presidente da Mesa da Assembleia para a marcação da Assembleia-Geral Ordinária para a aprovação de contas de 2016.
Aquando da demissão destes dois diretores, em Outubro deste ano, continuamos a não saber nada do mencionado auditor que o Sr. Ex-Tesoureiro disse já ter contratado, em Agosto. Mais uma vez, este mentiu, porque o importante não era auditar nada, era sim criar suspeitas da atual direção e do seu Presidente, para que esta se demitisse em bloco, e estes dois diretores demissionários constituíssem uma lista para tomarem posse da Associação.
No entanto, após tais calúnias apresentadas no jornal “Diário da Região”, entendo, como Presidente da ACISTDS, para que não haja mais dúvidas sobre os conceitos de seriedade que eu, todos os anteriores presidentes, demais diretores e detentores de lugares de outros órgãos associativos da ACISTDS defendemos, iremos proceder às seguintes medidas:
1. Contatar-se de imediato a Ordem dos Revisores Oficiais de Contas afim destes indicarem um Revisor para fazerem uma auditoria aos últimos três anos e a todos os pontos citados nas calúnias apresentadas no jornal pelos dois exdiretores demissionários;
2. Instalar um processo judicial aos dois ex-diretores demissionários por difamação e calúnias apresentadas. Penso que estas medidas chegarão para repor o bom-nome da Instituição e do seu Presidente.
O Presidente da Direção
da ACISTDS
Francisco Carriço

Deixe uma resposta