Carolina faz bolachas para ajudar crianças de rua na Índia

Local C Sociedade Sociedade B

A viagem à Índia tornou-se numa autêntica missão de solidariedade para Carolina Coutinho, uma menina de 9 anos, que quer ajudar crianças da sua idade que vivem na rua. Para concretizar o seu sonho, Carolina, faz diariamente bolachinhas para vender.

Helga Nobre

Chama-se Carolina Vaz Coutinho, 9 anos, vive em Sines e tem o sonho de viajar até à Índia para ajudar uma instituição. Há cerca de duas semanas decidiu pôr mãos à obra e criou uma página no facebook para dar a conhecer o projeto Carol Em Busca Do Seu Sonho .

Tenho viajado muitas vezes para Marrocos, onde vivi alguns meses, e sempre que vou para lá levo alguma coisa para ajudar os meninos que vivem em Marrocos. Este ano vou viajar para a Índia e por isso pedi à minha mãe para criar uma página no facebook onde proponho fazer bolachas para ajudar crianças de uma instituição na Índia”, revelou.

Desde então, a pequena Carolina, que um dia quer ser “médica do cancro”, dedica o seu tempo a fabricar pequenas bolachas, de várias formas e sabores, na tentativa de angariar dinheiro para ajudar os meninos de uma instituição na Índia para onde viaja, com a mãe, no próximo mês de dezembro.

Pedi à minha mãe para pesquisar uma instituição na cidade para onde vamos e decidi ajudar uma instituição que recolhe meninos da rua. Por ano, eles gastam 500 euros para o médico, educação, roupa e comida de cada menino”, adiantou Carolina que tem agora o objetivo de ajudar o maior número de crianças. “Acho que vou conseguir ajudar pelo menos um menino mas gostava de angariar mais do que 500 euros para ajudar mais”, confessa.

Todos os dias, depois da escola e das atividades extra-curriculares, Carolina tem à sua espera várias qualidades de farinha, açúcar, ovos e o rolo da massa. Sem pestanejar e sob a supervisão da mãe junta ingredientes e dá forma às bolachas que um dia irão ajudar uma criança na longínqua cidade de Cochim, Estado de Kerala, Índia.

Quando saio da escola, vou para o ATL e para a natação e só depois é que venho para aqui [cozinha] fazer as bolachas. Faço a massa, vou fazendo as formas nas bolachas e a minha mãe ajuda-me com os marcadores e a colocar a massa no forno. Depois, quando já estão cozidas, coloco em pacotes”, explica enquanto junta todos os ingredientes numa taça para mais uma fornada de bolachinhas.

Da cozinha da Carolina saem centenas de bolachas para responder às encomendas e à onda de solidariedade que entretanto se criou em torno deste projeto. A mãe, Mónica Neves, diz que é um desafio diário que a filha assume com uma grande responsabilidade.

Não jantamos há quase uma semana, só torradinhas, porque temos de fazer bolachas e a Carolina tem de estudar porque está numa altura de testes e é um bocadinho difícil conciliar isto tudo mas ela é muito responsável e pede para acordar mais cedo para estudar porque, à noite, está ocupada com as bolachinhas”, confessa.

No espaço de uma semana, Carol conseguiu reunir os 500 euros para ajudar um dos meninos da instituição que vai visitar no final deste ano mas sonha ajudar muito mais crianças. Para isso, basta seguir a página no facebook. “Podem escrever nos comentários das fotos ou por mensagem privada que respondemos aos pedidos”, garantiu Carolina Coutinho.

Cada ‘pacotinho de sonho’ – de manteiga, chá verde, farinha de alfarroba, sem gluten ou paleo -, é vendido entre os 3,5€ e os 5 euros.

Deixe uma resposta