A vitória do PS nas eleições autárquicas/2017 no Montijo, a ponte Vasco da Gama e o futuro do aeroporto na BA6

Opinião

O Partido Socialista ganhou as eleições autárquicas de 1997 no Montijo com maioria absoluta e uns meses depois, em 29/03/1998 foi inaugurada a Ponte Vasco da Gama.
Com o desenvolvimento que já se previa na área do urbanismo pelo aumento da população por ficarmos perto de Lisboa, era necessária competência, honestidade e uma grande vontade política para lutar contra a corrupção e o compadrio, para conseguirmos uma cidade com um urbanismo de excelência e ambientalmente sustentável e segura.
Passados 20 anos conseguimos os nossos objetivos. A população cresceu 41% neste período e hoje temos uma zona nova da cidade do melhor que existe no país, com avenidas, praças, excelentes acessibilidades, zonas verdes e prédios com arquitetura de muita qualidade e continuamos a ser uma cidade segura.
A nossa cidade recebeu muitos casais jovens que para aqui vieram residir, construímos escolas públicas para todos desde do pré-escolar. A nossa habitação social está integrada na cidade junta com prédios de habitação coletiva de venda livre e moradias unifamiliares. Nunca autorizámos condomínios privados nem atirámos com os mais pobres para a periferia da cidade. Recuperámos todo o nosso património cultural edificado que se encontrava num lamentável estado de degradação. Fizemos isto tudo com as contas equilibradas.
Nas eleições de 2017, o Partido Socialista voltou a ganhar no Montijo com maioria absoluta e pela primeira vez na sua história ganhou em todas as freguesias. Em 2018 vão iniciar-se as negociações entre o Governo e a ANA e a inauguração do aeroporto está prevista para 2021 por isso é necessário ter à frente da Câmara e dos restantes órgãos autárquicos quadros competentes, com grande valor, acima de toda a suspeita e com grande vontade política na defesa dos interesses da nossa Terra e o PS de Montijo desde a sua fundação tem sido uma escola de quadros políticos que têm prestado bons serviços ao Montijo, à região e ao país.
O PS de Montijo quando organiza as suas listas de candidatos procura sempre manter pessoas competentes, honestas e experientes .com provas dadas e acrescentar a estes jovens com valor. Foi isso que aconteceu em todas as eleições e este ano não fugiu à regra. Temos jovens na câmara, na Assembleia Municipal e nas juntas e assembleias de freguesia.
A construção do aeroporto na BA6 no Montijo, vai trazer-nos um novo ciclo de crescimento, maior do que a Ponte Vasco da Gama, de pessoas que para aqui vêm residir e outros que vêm viver e trabalhar para a nossa Terra.
A Câmara do PS liderada pelo Engenheiro Nuno Canta, um autarca competente, experiente, com provas dadas e acima de toda a suspeita que tomou agora posse, vai governar o nosso concelho numa altura em que se vão construir as infraestruturas nestes quatro anos para acesso ao novo aeroporto e vai novamente aumentar o número de novos residentes numa larga percentagem.
Até 2021, ano em que vai ser inaugurado o aeroporto, esta equipa vai ter que preparar o futuro do Montijo. Temos que projetar o concelho para um grande desenvolvimento, com a continuação de boas políticas na área do urbanismo, zonas verdes, escolas para o futuro, políticas culturais, apoio ao turismo, habitação social para os mais carenciados, temos que continuar a integração social na habitação e continuarmos a não aprovar condomínios privados.
Projetar políticas para sermos sempre uma cidade segura.
Temos que manter e melhorar todas as nossas tradições e festas populares.
Se tudo correr bem como esperamos dentro de dez anos a cidade de Montijo será a mais importante da margem sul.

2 comments

  1. Um AEROBORTO na BA6 é um atentado contra todos. Contra os militares da Força Aérea que vão ser forçados a abandonar a sua Base e a Região. Contra as Populações ribeirinhas de Alcochete, Montijo, Moita, Barreiro e Seixal que vão ver a sua vida transformada num INFERNO. De ruído, acima dos níveis permitidos, de poluição atmosférica. Contra as aves que partilham a Reserva Natural do Estuário do Tejo com as populações ribeirinhas, pois vão ficar em elevado risco de sobrevivência. E vão elas próprias constituir um elevado risco para as operações aeroportuárias podendo nos seus voos colidir com as aeronaves ou serem ingeridas pelos seus reactores. Colocando em risco quer a vida dos passageiros quer a vida dos tripulantes e a vida dos habitantes. Um AEROBORTO em cima de uma Reserva Natural e com um Complexo Petroquímico no seu Perímetro de Servidões. Milhares de litros de combustível, lubrificantes e produtos químicos altamente inflamáveis (acrilonitrilo, amónio) armazenados na Tanquipor ou processados na Fisipe, Mundo Têxtil, NAL-Nitratos de Portugal. Depósitos de Biogás na Simarsul. Tudo a menos de 2,5 Km do início da pista. Um BARRIL de “Pólvora” que pode explodir com consequências apocalípticas para a toda a população do Lavradio e Baixa da Banheira, ao mínimo acidente aéreo. Que ocorrem cada vez com maior frequência. É isto que o senhor Bastos e o seu partido têm para oferecer à nossa Região? O Montijo e a Região merece melhor. Merece um VERDADEIRO AEROPORTO no concelho do Montijo. Em Canha no local selecionado pelo LNEC, uma Instituição idónea e prestigiada. Que poderia iniciar de imediato as operações de CARGA AÉREA e potenciar os Portos de Lisboa, Setúbal e Sines e o Corredor Transnacional de Transporte Multipolar Lisboa-Europa, integrado na Rota da Seda que o Governo anda a mendigar aos chineses. Se concretizarem este ATENTADO À ECONOMIA, AO AMBIENTE, À SEQURANÇA E QUALIDADE DE VIDA DAS Populações, serão forçosamente responsáveis materiais por todos os prejuízos e desgraças que venham a acontecer. A HISTÓRIA VOS JULGARÁ PELO VOSSO BEIJO DE JUDAS.

Deixe uma resposta