“Novo ciclo” vai levar “desenvolvimento e progresso” ao concelho da Moita

Local C Últimas B

Rui Garcia, reeleito presidente da Câmara Municipal da Moita, afirmou ontem, na instalação dos Novos Órgãos Autárquicos, que o “novo ciclo”, que agora se inicia, vai levar “desenvolvimento e progresso” ao concelho.

“Cada novo mandato autárquico é um reinício, mas um reinício que se faz construindo sob as bases do trabalho anterior. Por isso, estamos convictos de que o novo ciclo que agora se inicia será um novo ciclo de desenvolvimento e progresso para o nosso concelho, pois o programa que traçamos para os próximos anos dá continuidade e aprofunda o trabalho realizado e as orientações que nos têm guiado”, referiu o autarca, na cerimónia que decorreu no Salão da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Moita.

Acrescentando que “iniciamos este ciclo numa situação de estabilização financeira da Câmara. Com um elevado número de projectos desenvolvidos ou em elaboração para intervir em espaço público e em equipamentos. Com trabalho desenvolvido na captação de investimentos e no acompanhamento de projectos. Podemos afirmar que temos bases que permitem um novo impulso ao desenvolvimento do concelho e na melhoria das condições de vida da população”.

É com “confiança” que Rui Garcia vai iniciar este novo mandato, confiança essa que dá “força” a autarquia para “enfrentar os pesados constrangimentos que têm sido impostos ao Poder Local”.

A concluir a sua intervenção, Rui Garcia afirmou que “está pronto” para enfrentar todos os grandes desafios que os próximos anos colocam.

“Cada novo mandato coloca-nos renovados desafios. Uns, são os de sempre, fazer mais e fazer melhor no desempenho das atribuições essenciais das autarquias: os serviços urbanos, a educação, a gestão do território, a promoção da cultura e do desporto, o apoio ao movimento associativo. Mas outras esferas de actuação ganham cada vez mais importância, como, por exemplo, o desenvolvimento económico, a regeneração urbana ou a promoção do território”, disse.

João Lobo, reeleito presidente da Assembleia Municipal, também fez a sua intervenção na noite de ontem e afirmou ser “fundamental valorizar o Poder Local”, para que seja possível “construir o futuro”.

“É preciso pugnar pela reposição das freguesias da Baixa da Banheira, do Vale da Amoreira, do Gaio-Rosário e de Sarilhos Pequenos, enquanto factores de maior proximidade e participação democrática; pugnar pela recuperação da autonomia administrativa e financeira das autarquias locais, através da reposição das condições necessárias para estas assumirem plenamente as competências que hoje detêm; e pugnar por uma efectiva e verdadeira descentralização baseada numa delimitação clara de competências entre os vários níveis de administração, sendo fundamental para essa descentralização a criação das Regiões Administrativas e de uma verdadeira e forte autarquia metropolitana”, referiu.

Na sessão, foram empossados para a Câmara Municipal: Rui Garcia (CDU), Luís Chula (PS), Daniel Figueiredo (CDU), Carlos Albino (PS), Vivina Nunes (CDU), Joaquim Cabaça (BE), Miguel Canudo (CDU), Filomena Ventura (PS) e Luís Nascimento (Merecemos Mais).

Após a instalação da Câmara Municipal, teve lugar a da Assembleia Municipal que ficou com a seguinte constituição: João Lobo (CDU), Eurídice Pereira (PS), João Faim (CDU), José Capelo (PS), Fernando Gaspar (CDU), António Chora (BE), João Figueiredo (CDU), Márcia Santos (PS), Maria Diogo (Merecemos Mais), João Apolónia (CDU), Jorge Beja (BE), Tânia Ribeiro (CDU), Eduardo Teixeira (CDU), Pedro Mateus (PS), Luís Morgado (BE), Ana Candeias (CDU), Bárbara Dias (PS), Manuel Marques (CDU), João Flores (Merecemos Mais), Maria Dâmaso (PAN), Carlos Dias (CDU), Miguel Jorge (PS), Carmen Mafra (BE), Mónica Ribeiro (CDU), João Palma (PS), Rui Garcia (CDU) e Maria Mendonça (PS).

Aos quais se juntaram Manuel Graúdo, presidente da Junta de Freguesia de Alhos Vedros, Nuno Cavaco, presidente da União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, Miguel Carregosa, presidente da União Freguesias do Gaio-Rosário e Sarilhos Pequenos, e João Miguel, Presidente da Junta de Freguesia da Moita, por inerência aos cargos que detêm.

A cerimónia finalizou com a eleição da Mesa da Assembleia, que será de novo presidida por João Lobo, escolhido por maioria com 18 votos a favor e 13 votos em branco. Os outros membros eleitos são Mónica Ribeiro, 1.º secretário, e João Apolónia, 2.º secretário.

Deixe uma resposta