SETÚBAL Ministério Público recorre de liberdade para professor suspeito de pedofilia

Local C Últimas

O Ministério Público anunciou que vai recorrer das medidas de coação aplicadas pelo juiz. O professor, de 44 anos, ficou a aguardar julgamento em liberdade mas Procuradoria da Comarca de Setúbal sublinha que existe perigo de continuação da actividade criminosa e de perturbação do processo

O Ministério Público vai recorrer da decisão do juiz de deixar em liberdade um homem de 44 anos suspeito da prática de dez crimes de abuso sexual de crianças agravado, num estabelecimento escolar em Setúbal.

O homem, professor do primeiro ciclo, foi presente a primeiro interrogatório judicial no Juízo Central de Instrução Criminal de Setúbal.

“O Juiz de Instrução Criminal reconheceu a existência dos perigos de continuação da actividade criminosa e de perturbação do inquérito por parte do arguido, bem como de alarme social, mas não aplicou a medida de coação de prisão preventiva, tal como requerido pelo Ministério Público, dado que o professor foi afastado de funções do estabelecimento de ensino de Setúbal”, refere a Procuradoria da Comarca de Setúbal em comunicado divulgado ao final do dia de sexta-feira.

O documento salienta que o Ministério Público vai recorrer desta decisão, com a investigação a prosseguir sob a direção da Unidade Semi-Especializada em Crimes Sexuais do DIAP Sede de Setúbal e a cargo da Polícia Judiciária de Setúbal.

O homem está indiciado por crimes alegadamente cometidos no ano letivo de 2016-2017, num estabelecimento de ensino de Setúbal, a uma dezena de alunas, todas com menos de 10 anos.

O arguido foi detido pela Polícia Judiciária no âmbito de uma busca à sua residência, onde também foram encontrados vídeos realizados em locais públicos com crianças do sexo feminino, refere a Procuradoria.

Lusa

Deixe uma resposta