Misericórdia de Sines garante continuidade da Teleassistência a idosos do concelho

Local C Sociedade Sociedade B

Os quinze utentes da Santa Casa da Misericórdia de Sines, com idades entre os 58 e os 98 anos, que desde março de 2016 beneficiam do Serviço de Teleassistência vão poder continuar a usufruir do sistema em suas casas, graças a uma parceria que a instituição estabeleceu com a Rede Energética Nacional (REN).

 

Helga Nobre

Os equipamentos que foram adquiridos à empresa Helphone, graças a um financiamento do BPI Sénior, que permitiu à Misericórdia garantir durante um ano, o pagamento mensal do call center e a aquisição dos equipamentos, corria o risco de terminar devido às carências económicas dos utentes.

A assistente social, Nádia Cruz, responsável pelo projeto na Misericórdia de Sines, explicou ao Diário da Região que a instituição conseguiu, junto da REN, firmar uma nova parceria e garantir o pagamento mensal do callcenter até setembro de 2018. 

“Após o primeiro ano de funcionamento do projeto não queríamos retirar o serviço aos nossos utentes e muitos deles, por carência económica, não tinham capacidade de pagar o call center que ronda os 10 euros mensais e por isso iniciamos uma tentativa de parceria com as empresas que pudessem financiar este projeto tendo uma resposta positiva da REN que durante um ano vai financiar o serviço”.

A central de atendimento funciona em permanência, 365 dias por ano, e, não precisa da existência de um telefone ao alcance da mão. Com operadores especialmente treinados para o efeito, os utentes primem um botão num controlo remoto, (que pode ser usado no pulso como um relógio ou colocado como um pendente) e rapidamente são contactados por um call center.

“Os serviços mais usados pelos nossos utentes são a emergência médica, que consiste no contacto do callcenter sempre que o utentes se sentem mal, e, o ‘Voz Amiga’, que funciona com  marcação de dias e horas em que o utente se sente mais só para falar e desabafar com os técnicos, adianta a profissional.

Este sistema está ligado a um intercomunicador fixo que cobre uma área de 200m2 e é compatível com todas as redes telefónicas do mercado. No último ano, de acordo com os dados da Misericórdia de Sines, foram evitadas muitas incidências entre elas crimes de violência doméstica.

“O utente beneficiário do aparelho conseguiu contactar o callcenter que chamou as autoridades e evitou um crime de violência doméstica entre filha e genro e temos situações de emergência médica, como quedas e doenças súbitas, cujo desfecho trágico conseguiu ser evitado através deste serviço”, acrescenta Nádia Cruz.

Numa primeira fase, a Misericórdia de Sines adquiriu quinze destes equipamentos mas tem intenção de alargar este apoio a mais idosos.

Temos uma política de proximidade nas comunidades locais onde estamos inseridos e a REN tem, em Sines, uma parte muito significativa da sua atividade”, refere Margarida Ferreirinha, Diretora de Comunicação e Sustentabilidade da empresa. “Apoiamos este projeto da Santa Casa da Misericórdia de Sines porque acreditamos que faz diferença para a população, nomeadamente dos mais idosos, de Sines”, salienta ainda.

Os quinze idosos que beneficiam deste serviço – 13 mulheres e 2 homens residentes na área urbana do concelho de Sines – são utentes do serviço de apoio domiciliário e do centro de dia da Misericórdia de Sines.

Tratam-se de idosos que vivem sozinhos ou isolados, com carências económicas e, de acordo com a Misericórdia de Sines, o serviço de Teleassistência permite retardar a institucionalização destes utentes.

Deixe uma resposta