Vitória – Pinhalnovense: Sonho da Taça de Portugal começa em Pinhal Novo

Desporto

Vitória defronta vizinho Pinhalnovense no domingo (15 horas) com o desejo de repetir caminhada de 2005/06 até ao Jamor

 

Todas as épocas os adeptos do Vitória de Setúbal renovam a esperança de ver o seu clube atingir a final da Taça de Portugal. Quis o sorteio da 3.ª eliminatória que os sadinos começassem a caminhada em 2017/18 com uma deslocação ao campo Santos Jorge, casa do vizinho Pinhalnovense. Independentemente do desfecho do encontro, é certo que vai haver festa rija, em Pinhal Novo, com a receção ao Vitória.
O treinador José Couceiro, que só amanhã fará no Bonfim a antevisão à partida, já alertou os seus jogadores para a necessidade de encarar o adversário como se fosse um concorrente directo da I Liga. O facto de o Pinhalnovense militar no Campeonato de Portugal – ocupa a 5.ª posição da série E – não significa que se trate de um clube mais acessível na eliminatória, pelo contrário.
A última vez que Pinhalnovense e Vitória mediram forças na prova rainha, os sadinos fizeram história ao chegar nessa temporada, 2005/06, à final do Jamor. A equipa, então treinada por Hélio Sousa, perdeu 1-0 com o FC Porto, mas fez história ao atingir a sua décima final da Taça de Portugal. O feito só foi então possível depois de ultrapassarem o Pinhalnovense na 5.ª eliminatória numa partida que só ficou decidida no desempate através da marca de grandes penalidades.
Num encontro sem grandes oportunidades de golo, as duas equipas ficaram em branco no tempo regulamentar e no prolongamento, exigindo o recurso aos penáltis, na qual a formação primodivisionária, que era na altura a detentora do troféu, foi mais feliz, vencendo por 5-4 o conjunto da 2.ª divisão, que era na altura treinado por Vítor Urbano.
Na hora H, o guarda-redes Marco Tábuas foi o herói sadino ao defender o quinto e último remate do Pinhalnovense da marca de grande penalidade, apontado por Chevela. Pelo Vitória ninguém falhou e o disparo certeiro do francês Lacombe decidiu a contenda a favor da formação visitante, que seguiu para a próxima ronda da Taça.
Tal como aconteceu nesse dia 11 de Janeiro de 2006, os setubalenses querem seguir em frente de forma a alimentar o sonho de repetir o percurso vitorioso até ao jogo decisivo. O Pinhalnovense promete dificultar ao máximo a tarefa dos seus vizinhos. Os azuis e brancos, que chegam a este jogo moralizados por quatro triunfos consecutivos (três no campeonato e um na Taça de Portugal), querem fazer a manchete de tomba-gigantes na segunda-feira.

Ricardo Cravo confiante

Além disso, os jogadores querem mostrar serviço ao novo treinador Ricardo Cravo, que começou a trabalhar no clube no início da semana e promete uma equipa ambiciosa. “O Vitória é favorito, mas, dentro do campo, as coisas até se poderão tornar fáceis para nós. Encaramos o jogo com ambição e temos a esperança de poder fazer Taça”, disse ao Diário da Região.
A actuar em casa, o técnico, de 53 anos, não esconde que esta é uma partida especial para o clube do Campeonato de Portugal diante do seu vizinho da I Liga. “Tanto a nível desportivo como financeiro é um jogo extremamente apetecível. Temos uma equipa jovem que tem motivação extra para causar uma surpresa no domingo”, assegura o técnico que regressou a Portugal depois de uma experiência nos irlandeses do Athlone Town.
Ricardo Cravo desvaloriza o facto de o oponente ter somado apenas um triunfo em oito jornadas no campeonato, registo que contrasta com o do Pinhalnovense que vem de quatro êxitos consecutivos. “Os jogos de campeonato e Taça são diferentes. Além disso, o Vitória têm a ambição de ir longe na prova, por isso, não acredito em facilidades”.
Sem lesões nem castigos, o Pinhalnovense tem a equipa na máxima força. Apesar de estar à frente da equipa desde segunda-feira, Ricardo Cravo admite fazer algumas alterações. “Vamos procurar dar seguimento ao bom trabalho que foi feito, mas a equipa já terá algumas ideias minhas”, garante o técnico que defronta pela segunda vez um clube da I Liga na Taça de Portugal depois de o ter feito ao serviço do Cova da Piedade em 2007/08 [derrota 5-0 com o Nacional].

Três juniores no treino no Vale da Rosa

Além de João Valido, guarda-redes dos juniores que integra com frequência os trabalhos da equipa sénior, os colegas de escalão Tomás Azevedo [médio que celebrou ontem o seu 17.º aniversário] e o defesa Baba Fernandes juntaram-se ontem ao guardião no treino da equipa orientada por José Couceiro no Complexo Municipal do Vale da Rosa.
Hoje, pelas 10 horas, o plantel do Vitória realiza, no Bonfim, a penúltima sessão de trabalho antes do duelo com o Pinhalnovense, que marca a estreia na edição 2017/18 da Taça de Portugal. O defesa Patrick Vieira, os médios Jacob Adebanjo e João Teixeira e o avançado Yannick Djaló estão, devido a lesão, impedidos de dar o contributo à equipa.

Deixe uma resposta