Festival de navios reforçou laços de Setúbal com o mar [FOTOS]

NAVIOS. O navio-escola Sagres, os navios Creoula e Santa Maria Manuela e a caravela Vera Cruz estiveram no Porto de Setúbal. (Fotografia: CMS)
Local C Últimas Últimas C

Visitas a navios portugueses e espanhóis, baptismos de mar, passeios em embarcações tradicionais, música, street-food, um espectáculo pirotécnico e um seminário atraíram pelo menos 40 mil pessoas à Semana do Mar, que terminou este domingo de manhã.

 

Doze embarcações atracadas no Porto de Setúbal e pelo menos 40 mil pessoas no recinto do Cais 2 tornaram a Semana do Mar “mais forte e reconhecida do que nunca”, levando-a a atingir “a sua expressão máxima” na quarta edição, que começou no dia 3 (terça-feira passada) com um seminário e terminou hoje de manhã (domingo) com a largada dos navios participantes de Portugal e Espanha.

O Navio-Escola Sagres, os navios “gémeos” Creoula e Santa Maria Manuela, a caravela Vera Cruz, a Nao Victoria e o galeão Andalucia (ambos espanhóis), uma lancha de fiscalização rápida da Marinha Portuguesa, dois rebocadores e três barcos tradicionais constituíram “uma quantidade de navios absolutamente única” na baía de Setúbal, nas palavras do vereador Carlos Rabaçal, em representação da presidente da câmara Maria das Dores Meira num jantar comemorativo dos oitenta anos do navio-escola Sagres, dado na sexta-feira à noite.

“Dificilmente teremos uma frota histórica tão ligada aos portugueses e à Península Ibérica como a que temos neste momento”, reforçou por sua vez João Lúcio, presidente da Aporvela, que detém a caravela Vera Cruz, antes de notar que os municípios, como o de Setúbal, estimulam cada vez mais os portugueses a virar-se para o mar, ajudando a valorizar os portos comerciais como espaços também de cultura e lazer.

Divulgar a economia do mar, as tradições da pesca, a importância da náutica e do desporto no desenvolvimento local e a importância do mar como desenvolvimento turístico local foram os objectivos da Semana do Mar 2017, organizada pela Câmara Municipal de Setúbal e pela Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (APSS).

Um projecto que “nasceu na mais recente e profícua aproximação das administrações municipais e portuárias, com a criação de um grupo de trabalho que tem permitido concretizar um conjunto de acções que estão a modificar de forma consistente e gradual a cidade de Setúbal na sua zona ribeirinha”, recordou o vereador Carlos Rabaçal na ocasião do jantar, em que esteve presente o comodoro Oliveira e Silva em representação do almirante António Manuel Fernandes da Silva Ribeiro, Chefe de Estado-Maior da Armada.

JANTAR. Convidados cantaram os parabéns e cortaram o bolo pelos 80 anos dos navios.


Sagres, Creoula e Santa Maria Manuela navegam há 80 anos

A Semana do Mar deu oportunidade a 220 pessoas “de todas as idades” de viverem “a sua primeira experiência de mar” a bordo dos navios Sagres, Creoula e Vera Cruz, em viagens entre Setúbal e Lisboa. O navio-escola Sagres da Marinha Portuguesa, com quase 90 metros de comprimento, um mastro de 45,5 metros de altura, 23 velas e três rodas de leme manuais, foi de todos o mais concorrido, recebendo visitas gratuitas desde que atracou na quinta-feira ao final da tarde e até sábado à noite.

O navio, construído em 1937 pela marinha alemã como navio-escola à vela, foi entregue ao Brasil em 1945 e só foi comprado pela Marinha Portuguesa em 1962. A 30 de Outubro comemora oitenta anos de mar, a mesma longevidade atribuída aos navios “gémeos” Creoula e Santa Maria Manuela, ambos construídos nos antigos estaleiros da Companhia União Fabril, no Barreiro, num tempo recorde de 62 dias úteis, também em 1937. A propósito da efeméride dos oitenta anos realizou-se um espectáculo pirotécnico que inundou de cor os céus da baía, no sábado à noite, sob o olhar atento de milhares de pessoas.

Uma moldura humana que já se havia juntado um pouco por toda a zona ribeirinha, na quinta-feira à tarde, feriado nacional do 5 de Outubro, para observar a chegada do navio-escola Sagres, um dos mais emblemáticos da história marítima portuguesa. “Foi uma recepção muito cénica, cheia de calor humano. Houve várias embarcações que nos acompanharam deste a entrada na barra e estavam milhares de pessoas à nossa espera no local de atracação”, contou o comandante do NRP Sagres ao DIÁRIO DA REGIÃO.

António Camilo, que nos últimos 30 anos tem entrado e saído do Porto de Setúbal ao leme de diferentes navios, realçou que a cidade “recebe sempre bem” o NRP Sagres e que a simples paragem do navio é pretexto para muitos dos 128 homens da guarnição descerem a terra para reencontrar família e amigos. O distritos de Setúbal e Lisboa são local de origem de mais de 80% dos marinheiros da Marinha Portuguesa.

A Semana do Mar 2017 incluiu uma zona de street-food com concertos ao vivo, passeios em embarcações tradicionais, baptismos de mar, experiências náuticas e um seminário sobre o tema “Setúbal, Porto e Cidade – Crescer em Conjunto”, que teve lugar no Fórum Municipal Luísa Todi, a abrir os seis dias do evento.

“No seminário foram apresentados investimentos com muita importância para o porto de Setúbal”, segundo Beatriz Mendes em representação de Lídia Sequeira, presidente do conselho de administração da APSS. Falaram-se de estratégias e soluções de crescimento em matérias como a actividade portuária, o turismo marítimo, a náutica de recreio e o desporto náutico, num plano em que Setúbal se tem afirmado cada vez mais.

 

Percorra a fotogaleria abaixo para ver mais imagens da Semana do Mar 2017.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotografias: Câmara Municipal de Setúbal

One comment

  1. festival de navios com fotos!
    sao noticias e fotos que nao merece a pena o jornal da regiao publicar!
    os servidores de dolores meira ja o fizeram atravez dos facebook !

Deixe uma resposta