João Valido: “Não é qualquer um que pode usar a camisola do Vitória”

Desporto

Vitoriano João Valido, guarda-redes dos juniores que treina com os seniores, revela mensagem que passa aos colegas da equipa principal

No último jogo do campeonato de juniores, o guarda-redes João Valido, de 17 anos, foi a figura da equipa do Vitória de Setúbal ao defender uma grande penalidade aos 90 minutos no empate (1-1) alcançado com o campeão em título Sporting. As qualidades do jovem guardião são reconhecidas há vários anos por quem tem acompanhado o seu percurso, razão pela qual treina com regularidade às ordens de José Couceiro na equipa sénior, escalão em que sonha um dia estrear-se com a camisola do clube. “Desde os cinco anos que sonho jogar no Vitória. Sou vitoriano de coração. Sempre fui e sempre vou ser. É um sonho jogar na equipa principal”.

Sentes-te uma espécie de herói por teres defendido um penálti aos 90 minutos que segurou o empate ao Vitória diante do Sporting?
Não me sinto um herói. O mérito pelo resultado que alcançámos é de toda a equipa. Penso até que merecíamos a vitória.
Como está a ser a experiência de treinar com seniores?
Tem sido muito bom treinar com eles. O grupo é espectacular e recebeu-me muito bem. Está a ser uma experiência fantástica. Sinto que estou a evoluir muito. Todos me transmitem muita experiência e procuram ensinar-me, nomeadamente os meus colegas de posição: Trigueira, Cristiano e (Miguel) Lázaro. Dou-me muito bem com todos e todos tentam ajudar-me.
Já pensas na estreia nos seniores?
Desde os cinco anos que sonho jogar no Vitória. Sou vitoriano de coração. Sempre fui e sempre vou ser. É um sonho jogar na equipa principal. O sonho de quase todos é jogar no Barcelona, Benfica, Porto ou Sporting, mas, como vitoriano, o meu sonho é apenas jogar no Vitória.
Sentes que estás mais perto de se concretizar? Poderá ser já esta época?
Não sei. Só o tempo o dirá. Sinto que estou a trabalhar bem. Se isso acontecer vai ser espectacular e vou ter de agarrar essa oportunidade.
Por seres 100% vitoriano, procuras passar esse sentimento à equipa? Como é no balneário?
Brincam muitas vezes comigo por ser mesmo do Vitória. Os meus colegas são profissionais e, por isso, não são mesmo do Vitória. Brinco também e digo-lhes que têm de ganhar. Passo-lhes a mensagem que representar este clube tem de ser um orgulho para todos e que não é qualquer um que pode usar esta camisola.
O que te disse José Couceiro quando começaste a treinar com a equipa?
Disse-me que estava a treinar com eles para aprender e por mérito próprio. Todos tinham confiança em mim e que este é mais um ano para evoluir. Sempre tive muito apoio de todos desde o José Couceiro, passando pelo treinador de guarda-redes, Carlos Ribeiro, e dos meus colegas. Vamos conseguir fazer um grande campeonato, tanto nos juniores como nos seniores.
Como é conciliar os treinos com os seniores e os juniores e a escola?
Treino três dias com os seniores e duas pelos juniores, onde jogo ao fim-de-semana. Tenho conseguido conciliar com a escola e arranjar um horário à tarde que me permite treinar com os seniores.
Como estão os estudos?
Uma coisa que o mister Couceiro falou comigo foi que eu tinha de conciliar tudo porque não queria que eu faltasse às aulas. Prejudicar a escola estava fora de questão. Os meus colegas brincam comigo quando saio dos treinos à pressa para ir para a escola.
Frequentas o 12.º ano. Já decidiste qual a área que queres seguir?
Não tenho a certeza do que vou seguir, mas não me vejo a seguir uma vertente fora do desporto. Terei de ver a questão das médias e as melhores saídas para o mercado de trabalho. Com calma.
Sentes alguma limitação pelo facto de seres diabético?
Está tudo bem. Muitas vezes as pessoas pensam que a doença não permite a prática desportiva, mas passa-se o contrário. Quanto mais desporto fizer, mais controlada está a saúde.

Treinador Sandro Mendes peremptório: “Valido sente o clube de forma especial”

Sandro Mendes, treinador de João Valido nos juniores, sublinha a importância de haver jogadores como o jovem guarda-redes que passam no balneário a mística do clube. “É muito importante. O Valido está aqui há muitos anos e quem é de Setúbal e vive o clube sente-o de forma especial. Há muita gente a falar de mística mas não sabe qual o seu verdadeiro significado. Não é um jogador que passa pelo Vitória um ano ou dois que a sente, apesar de poder ter a noção que se trata de um clube importante. Agora, quem está aqui uma vida é completamente diferente. O Valido cresceu dentro do Vitória e é natural que tenha essa mística e sinta o clube”, afirma.
O técnico vaticina um futuro auspicioso ao guarda-redes. “Quem acompanha o Vitória sabe o valor que o Valido tem. É um atleta na verdadeira acepção da palavra. Tem evoluído e o facto de estar a trabalhar com os seniores contribui para isso. É um guarda-redes de Selecção e temo a sorte de voltar a contar com ele”, diz, destacando o papel do jogador na “integração dos novos colegas”.

Deixe uma resposta