MONTIJO | PS canta quarta maior vitória de sempre no concelho

Nuno Canta "salientou" a dimensão da vitória
Local Últimas B Últimas C

Nuno Canta reconquistou a maioria absoluta para o PS na Câmara Municipal do Montijo, que lhe havia fugido em 2013. O socialista foi reeleito para um segundo mandato com um reforço significativo na votação – quase que duplicando os 4.726 votos conquistados há quatro anos –, o que lhe valeu “resgatar” um quarto e decisivo elemento entre os sete que compõem o executivo camarário. A CDU manteve os dois vereadores de há quatro anos, com 3.803 votos, e o PSD perdeu um, com 3.676 votos. O PS reconquistou ainda a maioria absoluta na Assembleia Municipal e venceu todas as juntas de freguesia.

Depois de uma maioria relativa que não andou muito longe dos piores resultados de sempre do partido no concelho – o pior registou-se em 1989 (4.081 votos), seguindo-se o ano de 1993 (4.540 votos), sempre com os socialistas como terceira força política mais votada –, Nuno Canta conseguiu agora catapultar o PS para uma maioria absoluta que constitui o quarto melhor resultado socialista na história montijense, se contabilizarmos a vitória alcançada em coligação com o PSD em 1985.

O ano em que o PS alcançou o melhor resultado de sempre no concelho foi 2001, com 9.334 votos para a Câmara, elegendo cinco elementos para o executivo – a CDU (3.314 votos) e o PSD (3.171) elegeram um vereador cada.

Em 1985, fruto de uma coligação com o PSD, os socialistas já haviam ultrapassado a fasquia dos nove mil votos (9.248), porém a correlação de forças no executivo foi de quatro eleitos para os vencedores e de três para a então APU (que obteve 8.848 votos).

Ainda melhor do que o resultado conquistado ontem por Nuno Canta, foi a votação registada em 2009, com os socialistas a conseguirem 8.943 votos e quatro eleitos para o executivo: a coligação PSD/CDS elegeu dois elementos (4.704 votos) e a CDU apenas um (3.299).

O triunfo de Nuno Canta vem logo a seguir, podendo ser visto também como terceiro melhor resultado da história do partido no concelho, se deixarmos de lado a vitória alcançada em coligação com os social-democratas em 1985.

O top 5 das melhores votações do PS no Montijo fecha com o resultado registado em 1997, quando os socialistas cavalgaram de terceira para primeira força política, arrebatando a Câmara, com maioria absoluta, ao PCP/PEV – o PS venceu com 8.305 votos (quatro eleitos), contra os 5.723 do PCP/PEV (dois eleitos) e os 2.872 votos do PSD (um eleito).

Cabeças-de-lista às freguesias com mais votos

Voltando aos resultados da noite do último domingo, os cabeças-de-lista socialistas às cinco juntas de freguesia do concelho superaram, nos respectivos territórios, as votações registadas pelo partido quer para a Câmara quer para a Assembleia Municipal. Neste particular, Catarina Marcelino, eleita presidente da Assembleia Municipal, foi quem registou menor votação. No total, os cabeças-de-lista do PS às assembleias de freguesia somaram 8.906 votos; para a Câmara o PS registou 8.591 votos; e para a Assembleia Municipal 8.172.

Na freguesia de Montijo/Afonsoeiro, Fernando Caria foi eleito com 6.295 votos, Nuno Canta obteve 6.102 e Catarina Marcelino 5.779 votos.

Na freguesia de Atalaia/Alto Estanqueiro-Jardia, Luís Morais foi eleito com 925 votos, Nuno Canta somou 871 e Catarina Marcelino 837 votos.

Na freguesia de Sarilhos Grandes, Fernando Machado venceu com 558 votos, Nuno Canta registou 527 e Catarina Marcelino 494 votos.

Na freguesia de Pegões, António Miguéns ganhou com 736 votos, Nuno Canta conseguiu 704 e Catarina Marcelino 690 votos.

Por último, na freguesia de Canha, Armando Piteira triunfou com 392 votos, Nuno Canta contabilizou 387 e Catarina Marcelino 372 votos.

Deixe uma resposta